Restaurantes em Ouro Preto, MG: onde comer

Das muitas cidades históricas do Brasil, Ouro Preto é talvez a mais charmosinha. Também é onde melhor se come e se bebe pelo preço mais acessível, já que lugares como Tiradentes, também em Minas Gerais, e Paraty, no Rio de Janeiro, superfaturam a gastronomia. Neste post, a gente conta quanto custa comer e quais são os melhores restaurantes em Ouro Preto. E também dá dicas para café da manhã, almoço e jantar.

Quanto custa comer em Ouro Preto, MG

Ouro Preto está na lista das cidades históricas mais baratas. Como se trata de uma cidade universitária com vida própria para além do turismo, é muito fácil encontrar restaurantes e bares baratos mesmo nas ruas mais centrais. Basta saber aonde ir.

Para almoçar em buffets livres, o preço costuma partir de cerca de R$40 por pessoa, com sobremesa incluída, mas sem bebidas. Alguns oferecem também a opção com balança ou com prato feito. Nesse caso, o preço do prato fica entre R$15 e R$25, em média.

À noite, são comuns as pizzarias (as pizzas individuais custam a partir de R$20 e as grandes, para compartilhar, partem de R$40, em média) e os restaurantes a la carte, mais sofisticados que os buffets do almoço. Os pratos individuais custam, no geral, entre R$30 e R$60.

Nos bares, o preço médio do chope artesanal de 300 ml é R$7.

Onde comer barato em Ouro Preto, MG

Para encontrar os restaurantes mais baratos de Ouro Preto, o melhor é ir atrás dos buffets por quilo no almoço. Há várias opções nas ruas principais com comida mineira simples e saborosa, como o Adega Ouro Preto.

À noite, o mais barato é optar pelas pizzas ou outros lanches. O restaurante Parada do Conde, por exemplo, serve crepes bem recheados por cerca de R$20, e o Opera Café e o Rena Café servem opções de lanches e salgados a partir de R$5.

Melhores cafés, bares e restaurantes em Ouro Preto (MG)

  • O Rena Café, para o melhor café com bolo ou pão de queijo recheado
  • Os restaurantes Chafariz, para um bom almoço com buffet livre, e Adega Ouro Preto, com buffet por quilo bem em conta
  • O Passo Pizza Jazz e a cantina Tropea, para um delicioso jantar a la carte
  • O Café Geraes, para ouvir um encantador piano jazz
  • O pub da Cervejaria Ouropretana, para a melhor cerveja artesanal com porções gostosas

Onde comer e beber em Ouro Preto

Para tomar café em Ouro Preto, seja da manhã ou da tarde, nossos lugares favoritos são o Rena Café e o Ópera Café.

O Rena Café é bem aconchegante, tem área externa e aquele cheirinho sensacional que invade todos os ambientes. É o melhor café de Ouro Preto para os apreciadores da bebida. Entre as comidinhas, bolos e lanches simples (a partir de R$5). Fazem sucesso o pão de queijo recheado de lombo defumado, queijo canastra e geleia de morango, e a torta de paçoca com café.

O Ópera Café fica anexo a um hotel de mesmo nome e tem como ponto positivo a vista das janelas, que dão para a rua Direita (Conde de Bobadela) com as belas casinhas coloniais ao fundo. Serve bons cafés a partir de R$6, além de drinks com a bebida, chás e chocolates. Para acompanhar, há fatias de bolo, pães de queijo, salgados e lanches, além de doces gostosinhos como o cheesecake de goiabada cascão e o tiramisù (R$13).

onde comer em ouro preto mg

A torta de paçoca do Rena e a vista das casinhas na janela do Ópera

A unanimidade na escolha de almoço dos visitantes de Ouro Preto são os buffets livres de comida mineira. Vale saber que, por mais vasta que seja a oferta, a comida disponível é bem simples, caseira, inspirada na roça mesmo.

Ou seja, vai ter tutu de feijão, frango ao molho pardo (feito com o sangue da galinha), torresmo, canjiquinha com costela de porco, quiabo, ora-pro-nóbis… Nas sobremesas, você encontra goiabada com queijo, doce de leite e compotas variadas de frutas. As bebidas não costumam estar incluídas.

Dos buffets livres do centrinho, o restaurante Chafariz tem melhor custo/benefício. O local é todo decorado com fotos e objetos antigos, a comida é muito saborosa, com boa variedade de saladas, a sobremesa está incluída e o preço fica em torno de R$50 por pessoa (podendo variar um pouco para mais ou para menos, dependendo da data).

Mais famoso, na faixa dos R$60 por pessoa, está o Contos de Réis. A vantagem é que a oferta de sobremesas é mais generosa que a do Chafariz. A arquitetura é bem característica dos subsolos de Ouro Preto, todo em madeira e pedra, mas é importante saber que o local costuma lotar (é uma tradicional parada de almoço das excursões) e não há ar-condicionado.

Já o restaurante Adega Ouro Preto é beeeem mais simples em tudo – na comida, no ambiente pequeno, na apresentação do buffet… Mas é outra proposta, com buffet livre mais barato e opção de pagar por quilo, com balança, o que é ótimo para quem come menos e acaba levando prejuízo quando paga por pessoa. Um prato bem servido sai na faixa dos R$20, preço similar ao de outros restaurantes por quilo nos arredores. A comida é honesta, bem gostosa, e o local tem uma bela vista nas janelas do segundo andar.

Uma opção de almoço a la carte, mais elaborado, é o Bené da Flauta, restaurante muito tradicional que fica ao lado da Igreja de São Francisco de Assis. Eles também abrem à noite, mas, como o nosso ponto favorito do local é a vista dele, recomendamos a visita durante o dia.

Para jantar, Ouro Preto tem um grupo gastronômico soberano: o grupo do O Passo Pizza Jazz. Este é talvez o restaurante mais romântico da cidade e, provavelmente, o nosso favorito. A proposta é bem intimista, boa comida em um casarão histórico sensacional com jardim e terraço aberto que recebe apresentações de jazz. É uma experiência de alto nível por um preço acessível, especialmente se compararmos com capitais e outras cidades históricas superfaturadas.

dicas de restaurantes em ouro preto

A costela do Passo – assada por 12 horas no forno a lenha com purê de mandioca e crocante de biju

As massas partem de R$40, preço do nhoque de mandioquinha com pomodoro, basílico e queijo tipo Grana, e também são deliciosos os risotos, como o parmeggiano com filé em crosta de queijo e um molho de jabuticaba (R$54).

Nas entradas e porções (a partir de R$25), há bruschettas, carpaccios e burratas, e, nas sobremesas (a partir de R$20), tem receitas mineiras como o cheesecake de doce de leite com compota caseira e a goiabada cascão em crosta de castanha de caju com sorvete de queijo. O chope da artesanal Ouropretana parte de R$8 e também há uma vasta carta de cervejas especiais em garrafa e vinhos. Vá cedo, porque costuma lotar, especialmente nos fins de semana e feriados.

Similar ao O Passo no quesito sofisticação, mas um pouco mais “gourmetizado”, há o Senhora Gastronomia, no Hotel Solar do Rosário, e o Le Chalet Fondue e Bistrô, com música ao vivo às sextas e sábados à noite.

Dos mesmos donos do O Passo, há outros três restaurantes: o Café Geraes, o Escadabaixo e o Tropea. Ou seja, dá para confiar na qualidade da comida de olhos fechados. O estilo da gastronomia muda entre eles, porém, os sabores são similares. Se você não gostou da oferta de um, é bem possível que não goste dos outros.

O Café Geraes e o Escadabaixo ficam juntos, um sobre o outro. O Escadabaixo, no subsolo, tem uma pegada de pub, mais escurinho, com mesas altas, chope e porções. O Café é o térreo, na altura da rua, com ambiente mais tranquilo e um sensacional piano bar que chama a atenção de todo mundo que passa por ali.

Além dos pratos, há mais opções de lanches, como hambúrguer e sanduíches a R$30 e porções populares, como pastel de angu, croquete de rabada, linguiça e barriga de porco (entre R$25 e R$40, em média), coisas que você não vê tanto nas outras casas do grupo. Os pratos partem de R$37 nas massas vegetarianas (destaque para o ravioli de cogumelos com brie, R$49). A lasanha de costelinha com queijo de cabra gratinado sob lâminas de maçã verde (R$48) é surpreendente. O piano bar é atração de quarta a sábado no jantar e, aos domingos, no almoço. O couvert é R$10.

Já o Tropea Cantina Armazém é uma deliciosa cantina italiana relativamente nova, inaugurada em 2017, mas que já faz sucesso na cidade. A arquitetura, também de pedra (como é comum nos prédios históricos de Ouro Preto) remete a um perfeito vilarejo do Sul da Itália – só falta o mar turquesa da Calábria para complementar o visual. Os preços regulam com os do O Passo, com pratos individuais a partir de R$40 e uma extensa lista de vinhos dispostos na adega.

restaurantes em ouro preto mg

Filé do Tropea com queijo maçaricado

O Santa Matula Casa Bistrô é uma boa opção para quem quer uma comida mais simples, da roça e com preço razoável. Os pratos individuais partem de R$30, como é o caso da “carbonara” com ovo caipira e do PF, mas o forte da casa são as opções para dividir. Eles fazem pratos fartos e mineiríssimos a partir de R$80, caso do tutu à mineira com carne de lata e torresmo. Para mineirizar-se de vez, vá no frango com quiabo e angu cremoso de milho verde (R$95), que serve de duas a tres pessoas, dependendo da fome.

Para lanches e pratos mais baratos, o Parada do Conde serve um menu do dia no almoço com salada, um prato a escolher (como tropeiro ou risoto) e uma sobremesa por R$35. À noite, se destaca a especialidade da casa, que são os crepes salgados e doces a partir de R$20.

Para beber e petiscar, o lugar mais bacana é, sem dúvida, o pub da cervejaria Ouropretana. Ele fica fora do eixo central, na rua Benedito Valadares, mas é facinho de chegar a pé. O lugar tem um clima bem tranquilão, com cervejas de garrafa, chopes engatados (não perca a Café Lager ou a IPA com maracujá) a partir de R$5 (200ml) e tábuas de degustação com cinco chopes (R$35).

cervejaria ouropretana

Tábua de degustação de cervejas no pub da Ouropretana

A comida é simples e muito, muito boa. O cardápio pode mudar, mas as porções costumam partir de R$16, sempre com receitas mineiras (como pão com linguiça, torresmo de barriga, paçoca de carne…) e com opções vegetarianas, especialmente nas pizzas de fermentação natural (a partir de R$27).

Escolha a polentinha frita com queijo da lagoa e creme azedo (R$16) ou o pernil empanado com crocante de mostarda (R$25). Rolam muitas promoções durante a semana, quando o movimento é bem menor.

Outras opções com estilo de pub, cervejas especiais e porções é o bar Porão, em um subsolo de pedra, que funciona até um pouco mais tarde. Para quem busca algo mais “mainstream”, com DJ, a Choperia Villa Boots é um local animado, com salão amplo, área externa, espaço kids, que acolhe bem grandes grupos. A casa é especializada em parrilla (a partir de R$40 a cada 300 gramas de carne com dois acompanhamentos) e pizzas (a partir de R$22). O chope é da cervejaria mineira Krug (a partir de R$7, 300 ml).

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *