Onde comer em Montevidéu: melhores restaurantes

Nem só de parrilla vive a capital uruguaia. Apesar do caríssimo PF tradicional de Montevidéu ser, no geral, composto de nada mais que carne e batata, há boas opções de pratos mais elaborados, comida vegetariana e lugares com preços um pouquinho mais em conta.

Neste texto, a gente indica cafés, cervejarias, vinícolas, mercados, parrillas e bons restaurantes. Saiba onde comer em Montevidéu.

Já conhece o instagram do Onde Comer e Beber? Lá, a gente posta dicas gastronômicas do Brasil e do mundo!

Clique nos links abaixo se quiser ir direto para seu tópico de interesse:

Nossos lugares favoritos para comer e beber em Montevidéu são os seguintes:

  • La Farmacia, The Lab Coffee e Che.co.ffee, para um bom café a qualquer hora do dia
  • O Mercado del Puerto, para um almoço de parrilla por ser icônico na cidade, ainda que seja mais caro e lotado
  • O La Pulperia e o La Perdiz, para uma boa parrilla fora do Mercado
  • O La Estacada, para um almoço em família com a brisa do mar
  • O Jacinto, o Estrecho e o Alquimista, para pratos contemporâneos mais elaborados e opções vegetarianas e veganas
  • As vinícolas Pizzorno e Bouza, para um passeio gastronômico incrível de bate-volta.

Abaixo, você confere informações mais detalhadas sobre esses e outros locais.

Quanto custa comer em Montevidéu e onde comer barato

Montevidéu deixou de ser uma cidade barata há bastante tempo. O salário mínimo no país se aproxima dos R$2.000, o que eleva os custos básicos com comida e moradia.

A gastronomia de Montevidéu gira em torno das parrillas, ou seja, os churrascos. A carne é servida normalmente com pouco sal e sem guarnição, por um preço médio de R$ 70 a R$80 a peça. Com uma guarnição muito simples (normalmente a oferta não vai muito além de arroz e batata), o preço médio passa de R$100.

Nesse caso, o gasto vai depender da fome: é possível dividir uma porção de carne, por exemplo, e pedir uma entrada para completar a refeição. Algumas parrillas até servem meia porção de carne, cobrando em torno de 60% do preço cheio.

Restaurantes com pratos montados, como massas ou risotos, costumam oferecer menus do dia a partir de cerca de R$ 70, preço que cai quando se anda fora das áreas turísticas.

Alguns lugares mais turísticos, como o Mercado del Puerto, serão naturalmente mais caros. A porção de carne da parrilla lá custa a partir de R$70. Em outros locais, como o La Pulpería, é possível encontrar peças a partir de R$ 50, em média. Para economizar no Mercado del Puerto, é melhor evitar as parrillas tradicionais e provar um hambúrguer ou um PF com churrasco nos quiosques das cervejarias Mastra ou Patagonia.

Outro ponto que afeta o bolso é, infelizmente, a cobrança do “cubierto”, ou seja, de uma espécie de taxa pelo uso da mesa e dos talheres. Ele fica em torno de R$10 a R$15 por pessoa e é cobrado em tudo quanto é lugar na cidade. Não adianta se revoltar com isso.

Vale lembrar que o Uruguai isenta turistas estrangeiros do imposto de 18% em bares e restaurantes sempre que se paga com cartão. Usando Visa, o desconto é abatido na hora; com o Mastercard, o valor vem estornado depois. Portanto, evite pagar a conta de estabelecimentos gastronômicos em dinheiro.

Os preços informados aqui no post estão em reais, para facilitar a leitura, mas podem variar de acordo com a cotação do dia. A cotação usada no post foi de R$1 para $8 pesos uruguaios.

Onde comer em Montevidéu: feiras e mercados

Restaurantes no Mercado del Puerto, em Montevidéu

Montevidéu tem dois mercados principais: o Mercado del Puerto, mais conhecido, e o Mercado Agrícola, menos popular entre turistas.

O Mercado del Puerto é o ponto certo no Centro Histórico para almoçar ao menos uma vez, tomando um medio a medio (normalmente servido em degustação por lá) ou uma cerveja – tanto a artesanal local Mastra quanto a argentina Patagonia possuem quiosques no local.

O foco da maior parte dos restaurantes é a parrilla (ou seja, muita carne) e as recomendações são:

  • El Palenque

Este é o mais atraente dos restaurantes do mercado para os carnívoros, já que o charme todo é acomodar-se nas mesas altas ao redor da parrilla e assistir a carne ficar pronta em meio à fumaça. Não é o mais confortável, mas é o mais concorrido. Entradinhas (como tortillas e croquetas) custam a partir de R$40. Os cortes de carne sem guarnição e os peixes saem a partir de R$ 70. Também tem queijos na parrilla (a partir de R$30) e massas, com opções sem carne (a partir R$ 40).

  • El Peregrino

O mais democrático é o El Peregrino, com opções variadas que vão além da parrilla, o que facilita a refeição de quem viaja com pessoas de paladares diferentes. Na parrilla, os cortes (a partir de R$ 60, mais ou menos) vem sem guarnição, mas há pratos montados que já vem com elas, com peixes e carnes, pelo mesmo valor. O filé com pimenta preta e batatas ao creme é delicioso e, dependendo da fome, dá para dividir. Opções de arroz com frutos do mar partem de R$ 70, e massas variadas, com opções vegetarianas, e saladas, saem a partir de R$ 50.

  • Chacra del Puerto

Os preços são os mesmos do Palenque, porém costuma ser menos concorrido e a carne também é bem gostosa. As massas custam a partir de R$ 80, com opções vegetarianas, e as carnes da parrilla a partir de R$65, também sem guarnição.

  • Cervejaria Mastra

Para tomar um chope artesanal uruguaio, vá na Golden Ale, na American IPA ou na Honey Amber Ale, feita com mel e laranja. O pint sai na faixa de R$ 20. Eles também servem lanches, como burgers e mini-pizzas.

  • Cervejaria Patagonia

Nossas favoritas da cervejaria argentina são a Amber Lager, a Bohemian Pilsner e a Session IPA – todas de R$ 20 a R$ 25 o pint. Eles também oferecem um menu do dia por cerca de R$50.

Restaurantes no Mercado Agrícola de Montevidéu

Bem menos hype é o Mercado Agrícola, onde se encontra produtos locais, frutas e verduras. Também há um quiosque da Cervejaria Mastra, além de bolos e tortas bem gostosos na fofinha La Dulcería e gostosas empanadas, a preços bem mais acessíveis que no Mercado del Puerto.

Feria de Tristan Narvaja

Essa feirinha de rua lembra um pouco a feira de San Telmo, de Buenos Aires, ou a Praça Benedito Calixto, de São Paulo.

Ali tem de tudo um pouco, entre roupas, livros, artigos de decoração e velharias, além de algumas barraquinhas de comida espalhadas por toda a extensão da feira, como churrasquinhos e palitos fritos de queijo, comida de rua comum na Colômbia e na Venezuela.

Melhores restaurantes de Montevidéu

  • Jacinto

O Jacinto é uma das melhores opções para uma refeição leve e mais elaborada, que sai um pouco das carnes uruguaias. Serve comida mediterrânea descomplicada em um ambiente aconchegante, moderno, com boas opções para veganos e vegetarianos: aparecem por lá massas recheadas de abóbora e ricota, polenta com tomates grelhados e alho negro, ragú de cogumelos com azeite de limão e amêndoas… Já os pratos de carne com guarnição trazem opções mais criativas e bem temperadas que o tradicional arroz com batata. Os pratos custam entre R$50 e R$90. Costuma ter um menu do dia, com prato principal e sobremesa que sai em torno de R$80 por pessoa.

Entradinhas (como sopas e pequenas porções de croquetas, polentas ou empanadas) ficam na faixa de R$20 a R$30. Deixe espaço para as sobremesas (R$35), que sempre trazem belas combinações como banana com doce de leite, amêndoas e nibs de cacau, pavlova com curd de limão e blueberry ou chocolate com café e caramelo salgado. É de lamber os beiços.

A comida deliciosa do Jacinto e os vinhos e tapas (servidos com vista para os vinhedos) na Bouza

A comida deliciosa do Jacinto e os vinhos e tapas (servidos com vista para os vinhedos) na Bouza

  • La Pulperia

La pulperia é uma parrilla tradicional de Montevidéu, ou seja, mais um lugar para carnes inesquecíveis no Uruguai – porém, vive lotado e o atendimento é um pouco confuso. A parrila tem carnes como short rib, entrecot, vazio, que partem de R$ 70 a porção, com opção de pedir meia. Linguiças e carnes mais baratas ficam entre R$25 e R$30.

No acompanhamento, batatas, queijo ou salada são pagos à parte (a partir de cerca de R$ 20). Não há outros pratos. Para beber, vinhos e cervejas. Como é concorrido, vá cedo ou tente fazer reserva. Não é um bom lugar para vegetarianos e veganos, pela falta de opção: sem carne, fazem apenas um hambúrguer.

  • La Perdiz

Nossa carne favorita de Montevidéu é o La Perdiz, sem dúvida. É um clássico da cidade, não é nenhuma novidade para os uruguaios, mas continua imbatível. Também tem a vantagem de um cardápio mais vasto, não focado só em carnes, mas também em frutos do mar (na faixa de R$80), saladas e massas (entre R$60 e R$80), com opções vegetarianas.

Da parrilla, dá para pedir uma entrada de provolone com tomates e manjericão (R$35) e passar para as carnes, que partem de R$ 60. A porção de short rib ou vazio fica em torno de R$ 75 – nossa escolha para acompanhar é sempre uma batata assada ao molho roquefort (cerca de R$ 25).

Na lista de bebidas, uma boa carta de vinhos e a cerveja da casa, Perdiz Beer, uma gostosa cream ale feita pela cervejaria artesanal uruguaia Cabesas.

churrasco uruguaio

A suculência das carnes do La Perdiz e a disputada parrilla do Palenque, no Mercado del Puerto

  • Estrecho

Esse lugarzinho minúsculo serve almoço contemporâneo no balcão (não há mesas, só cadeiras altas), ficou famoso e vive lotado. A cozinha é realmente interessante: alguns pratos têm toques orientais, como o peito de porco braseado com maçã e teryaki, e outros só fazem combinações diferentes mesmo, como a sopa de cenoura com leite de coco e vieiras e o filé com nhoque de azeitonas e mel. O cardápio muda constantemente e os pratos costumam custar entre R$ 50 e R$ 70. No momento, abre apenas para almoço durante a semana.

  • La estacada

Para uma outra pegada, mais rústica, a gente gosta muito do La Estacada, na pontinha do Iate Clube, na Rambla de Punta Carretas. É meio difícil encontrá-lo – se possível, vá de carro ou aplicativo de transporte, já que ele fica praticamente junto ao farol e é uma boa caminhada até lá.

Mas o local é despretensioso, aberto, com boa comida e uma deliciosa brisa vindo do mar. Há opções de parrilla para compartilhar em porções (a partir de R$ 50) ou em tábua para quatro pessoas (R$ 215), além de massas caseiras (como o gostoso sorrentino em tinta de lula com salmão defumado e cream cheese, R$80), milanesas e alguns pratos vegetarianos (massas recheadas, saladas e burgers).

pratos de comida uruguaia

Boas comidinhas do Estacada, lugar bem relax pertinho do Farol

  • Alquimista

Essa casa é realmente diferente. Primeiro, por ser uma casa mesmo, com sala, banheiro, cozinha, quartos, biblioteca, jardim… A experiência é bacana porque o sobrado centenário é muito bem decorado e as mesas são dispostas entre a mobília. O menu é bem elaborado, a comida é muito boa e uma refeição com entrada, bebida e prato principal dificilmente sairá por menos de R$ 150. Além do almoço, servem também experiências completas de chá da tarde.

Também são bons o Manzanar, gastrobar badalado em Carrasco; o La Vanguardia 1934, em Punta Carretas, com ótimo atendimento e boas massas e sanduíches; e o francês La Petite Cuisine, ponto tradicional do Centro Histórico.

restaurantes montevidéu

O casarão sofisticado do Alquimista e sua gastronomia contemporânea

Onde comer tapas em Montevidéu

Para saborear boas tapas (costumam custar a partir de R$30, porção individual) com vinho ou cerveja, vá no Toledo Bar de Tapas, na Cidade Velha, especializado em porçõezinhas elaboradas; no Candy Bar, que oferece “platillos” (ou seja, porções de tapas) a partir das 19h; e no Es Mercat, um bistrô na esquina do Mercado del Puerto, com tapas bem espanholas (como escabeche de polvo, tortilla, croquetas e huevos rotos) e frutos do mar alguns dias por semana.

Melhores bares e cervejarias de Montevidéu

Na capital uruguaia, anda valendo mais a pena beber um bom vinho mesmo. Isso porque os preços são relativamente acessíveis e porque o Uruguai não tem uma cena cervejeira tão expressiva quanto seus vizinhos.

De qualquer forma, a gente já comentou sobre os quiosques da Mastra e da Patagonia nos principais mercados da capital uruguaia. Aqui seguem mais alguns bares e pubs para tomar cerveja local:

  • Gallagher’s Irish Pub

Com clima bem britânico, com mesas de pub e sofás de couro vermelho, o Gallagher’s tem cinco torneiras, cervejas de garrafa e uma boa carta de vinhos uruguaios e drinks, mas são poucas as opções de comida. Costuma ter shows nos fins de semana.

  • Hey Chopp Craft Beer

Bar com uma boa carta de chopes locais (como Davok, Volcanica e Cabesas, além de receitas da casa) e com cervejas de garrafa estrangeiras mainstream, como Delirium, Leffe, Paulaner e Fuller’s. Para comer, seleções de tapas, sandubas, burgers e pizzas.

  • Montevideo Brew House

Com casas em Cordón e em Pocitos, tem mais cara de pub. São 15 torneiras com cervejas locais como Oso Pardo, Mastra e Cabesas, e opções de lanches e pratos individuais. Se for em família, vale saber: há reclamações de que o local não aceita crianças.

  • Montevideo Beer Company

O endereço mais bacana desse bar é o da Bulevar España, em Punta Carretas, um sobrado com um pátio bem legal para dias bonitos. Há boas cervejas artesanais da casa e uruguaias, mas os sanduíches e burgers deixam um pouco a desejar. A marca pertence ao mesmo grupo gastronômico do Gallagher’s Irish Pub.

Onde tomar café em Montevidéu

  • La Farmacia

A experiência mais legal para um café da manhã ou da tarde é no La Farmacia. Você pode demorar a encontrá-lo, apesar da fácil localização: é automático achar que se trata de uma farmácia centenária mesmo.

A arquitetura do local foi totalmente preservada, com piso e estantes de apotecário de encher os olhos. Lá dentro, os cafés partem de R$ 10 e há bons lanches (de croissants a tostadas elaboradas, além de sopas gostosas) a partir de R$ 20. Os almoços (a partir de R$ 30) sempre são oferecidos com uma opção de prato sem glúten.

onde comer em montevidéu

A arquitetura histórica do La Farmacia Café 

  • The Lab Coffee Roasters

Para os entendidos de café e entusiastas da bebida, o melhor lugar é o The Lab Coffee Roasters, perto do Museu Naval. Lá, o café é a atração, com diferentes tipos de extração e grãos próprios, tostados por eles mesmos – são vendidos também os pacotes para levar. No cardápio, além de lanches simples como tostadas e ovos, há bons sanduíches (todos com opção vegetariana) a partir de R$ 35.

Para adoçar, há o belo carrot cake vegano, tortas sem glúten e outras sobremesas como a torta brownie e o cheesecake (a partir de R$ 30), além de medialunas, cookies e alfajores unitários. Também oferecem drinks com café e a cerveja local Mastra.

  • Philomene Cafe

O Philomene Cafe é bem romântico e fica a uma quadra do Shopping Punta Carretas, em um sobradinho azul cheio de plantas, com cara de casa de vó. São especializados em chás e lanches doces e salgados, todos produzidos lá mesmo, artesanalmente.

Os cafés da manhã são servidos em combos que custam a partir de R$ 60. As combinações incluem uma bebida (suco e chá ou café) e comidinhas como iogurte com frutas, tostadas, medialunas, bagel, ovos… Também tem menu de almoço.

  • Che.co.ffee

Outra boa opção é o Che.co.ffee, que mudou recentemente de endereço, de Punta Carretas para o Centro Histórico, na Cidade Velha. A casa é um café tcheco bem tranquilão, diverso e inclusivo, como tudo devia ser.

Para beber, além de café e chá, servem cervejas artesanais e drinks tchecos feitos com Becherovka, um licor de ervas tradicional. Para comer, tostadas, croissants, sanduíches e sobremesas (entre R$ 15 e R$ 25). Não deixe de provar a Medovik, uma torta suave e deliciosa, muito popular em países da antiga região soviética. Ela é montada em camadas finíssimas de mel e castanhas, ótima para quem não quer nada muito doce.

cafés em montevidéu

A torta Medovik do Che.co.ffee e os pratos autorais do Estrecho.

  • Cafe Gourmand

Já o francês Cafe Gourmand, no Palermo, é ideal para um brunch mais potente. Tem matinais tradicionais, como pain au chocolat, cinammon roll e cookie, mas também apostam em pratos como ovos benedict, bowls, saladas diferentes (como a feita com falafel, por exemplo) e sanduíches de croissant, como o recheado de avocado e salmão curado na casa. Oferecem versões veganas e vegetarianas e são conhecidos pelos macarrons de limão, chocolate e café.

  • Outras opções

Também são bacanas o Doña Inés Dulces Tentaciones para uma sobremesa rápida em Pocitos; o Sinestesia na Cidade Velha, que mistura café, restaurante e loja de roupas, e tem boas sobremesas para veganos e celíacos; o La Madriguera Café, em Carrasco, com uma salinha bacana com jeito de biblioteca; e o hipster Cafe Nomade, de ambiente industrial e estilo Vila Madalena.

Vinícolas nos arredores de Montevidéu

O Uruguai tem quase 100 vinícolas e um vinho pra chamar de seu: o Tannat, uva tinta de origem francesa de personalidade forte, com alta concentração de taninos.

A boa notícia é que, em cada 10 vinícolas uruguaias, 6 estão localizadas justo em Canelones, nos arredores de Montevidéu, e dá para ir em tours de bate-volta ou até de Uber. A ruim é que os passeios são cobrados em dólar.

Destacamos duas vinícolas com experiências bem diferentes ao redor de Montevidéu: a Pizzorno Family States e a Adega Bouza. Para saber mais sobre as vinícolas uruguaias, confira o post do 360 Meridianos.

  • A Pizzorno Family States é boa para um passeio curto, intimista, com pouca gente. Esta é uma vinícola pequena e familiar, e quem conta sobre a produção e guia a degustação são os filhos do dono, que estão sempre por ali. O combo custa a partir de 30 dólares e inclui a visita, a degustação de três vinhos e empanadas bem gostosas.
  • A Bodega Bouza é uma vinícola nova, de 2003, e mais concorrida. A gente nem indicaria uma vinícola tão mainstream se ela não valesse muito a pena: a área da Bouza é enorme, linda, muito perto de Montevidéu e a degustação inclui 4 vinhos (um branco e três tintos) com repeteco livre e comidinhas maravilhosas, doces e salgadas. O tour com a degustação custa R$ 150 e leva praticamente o dia todo, por causa do tanto de comida e bebida.

Quem estiver viajando em família ou entre amigos e quiser ficar hospedado pertinho da Bodega para aproveitar a visita com calma, pode se hospedar na sensacional Casa Quinta, um casarão rústico de cinco quartos, piscina (com bar molhado), lareiras, mesa de bilhar, pátio enorme, churrasqueira gigante… é perfeita para passar uma temporada e curtir o forte calor uruguaio.

Procurando outras opções de hotel e casa em Montevidéu e arredores? Veja aqui algumas dicas de onde ficar no Uruguai. Reservando através do nosso link, você ainda ajuda o Onde Comer e Beber a se manter! 😀

– O hotel La Baguala é perfeito para descansar, especialmente no calorão do verão e da alta temporada: é praticamente um hotel de campo, num incrível casarão dos anos 1940 com muito verde, piscina e praias praticamente privativas em frente.
– Para um hotel mais tradicional no bairro de Punta Carretas, o Dazzler fica numa das melhores regiões de Montevidéu e tem uma bela piscina no terraço, com vista pra cidade.
– Uma opção mais em conta é o Hotel América, no coração da cidade, bem no centro, com localização perfeita e bom custo-benefício.
– Quem quer pagar menos, mas quer ficar em Punta Carretas, vai amar o Punta Trouville, a poucos passos da praia de Pocitos, que tem terraço com vista panorâmica.
– Para um hotel mais elegante, o Sofitel Casino, em Carrasco, oferece duas piscinas (uma coberta e uma ao ar livre), além de spa, restaurante, bar e academia – tudo isso numa das mais belas arquiteturas da região.

Preços e informações atualizados em 2021. Cardápios e valores podem ser alterados a qualquer momento, sem aviso prévio. A pandemia do coronavírus pode ter afetado o funcionamento de locais citados, confira antes de ir.

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Sérgio disse:

    Segui as dicas do blog e realmente pude ter experiências incríveis. Muito obrigado pelas dicas!

    • Luisa Dalcin disse:

      Ahh, que maravilha, Sérgio! A gente fica muito feliz de ter ajudado! Brigada pelo comentário! Um abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.