Bares e restaurantes em Veneza: onde comer sem cair em golpes

Comer e beber em Veneza é mais caro que em outras regiões italianas, e a cidade é definitivamente mais propensa a restaurantes que não são amor, são cilada. Aqui, a gente conta quais são nossos locais favoritos na cidade, quanto custa comer e beber um vinhozinho ou o tradicional Aperol Spritz com as melhores vistas dos canais, onde encontrar boas opções sem glúten e como não cair nesses golpes de preços que parecem uma coisa, mas triplicam quando a conta chega à mesa.

Veja também: Melhores bares e restaurantes no Navigli, em Milão
Onde comer em Liubliana e em Bled, na Eslovênia

Quanto custa comer e beber em Veneza

Veneza é uma das cidades mais lindas, lotadas e caras da Itália e, por isso, é um pouco mais difícil encontrar as boas pechinchas que há em Roma e Florença, por exemplo. Mas tem muita comida boa a preços razoáveis e lanches rápidos por poucos euros.

comida de rua em veneza

Comida de rua em Veneza

A alimentação na Itália costuma ser composta de uma entrada, antepasto; um primeiro prato, normalmente uma massa (muitas vezes vegetariana) que, em Veneza, costuma partir de 10 € ; e um segundo prato, mais caro, composto de carne – este sai entre 15 € e 20 € na região. No geral, o primeiro prato já é bem servido, valendo por uma refeição por si só.

O mais caro é comer na Praça de São Marcos, onde um café com tiramissu pode facilmente passar dos 30 €, no caso do aclamado Caffè Florian. Já nos arredores da ponte Rialto, apesar de ter alguns pega-turistas, é possível encontrar desde lanchonetes muito baratas (em frente à estação de vaporetto, por exemplo, saem sanduíches e pizzas individuais de vários botequinhos por a partir de 3 €) a restaurantes com vista e pratos por bons preços (massas a partir de 12 € e menus completos a 20 €, na tabela da baixa temporada).

Alguns valores podem ser exclusivos para servir dentro dos restaurantes, sem vista direta para a ponte, mas ainda assim vale a pena. Para beber, taças de vinho a partir de 6 € e o aperol spritz, bebida clássica da região, a partir de 8 € (em copos grandes, para compensar).

Vale lembrar que os restaurantes na Itália costumam cobrar “coperto”, uma taxa para sentar e usar o serviço do estabelecimento, que é cobrada independentemente de você consumir ou devolver os pães colocados na mesa. Em Veneza, o coperto fica entre 2 e 3 € por pessoa, no geral.

Como evitar golpes nos restaurantes de Veneza

Não é incomum ouvir histórias de turistas que sentaram para tomar um café em algum lugar de Veneza e receberam uma conta de centenas de euros. Isso pode ser falha do próprio turista, ao não olhar o cardápio antes de pedir (afinal, o já citado Florian cobra abertamente mais de R$50 por um café em seus decorados salões do século 18); ou por causa do estabelecimento, que induz o cliente a acreditar que o preço é outro por engano ou má-fé.

Se você tiver internet na viagem, o primeiro passo para evitar o golpe é procurar pelo nome do restaurante no Google. Rapidamente você verá comentários que vão deixar claro se o local merece a sua confiança ou não. Lugares como o Osteria da Lucca e a Trattoria Casanova já foram notícia por terem enganado clientes por aí – a primeira cobrou mais de mil euros por quatro bifes e um peixe, enquanto a segunda cobrou € 350 por três pratos de massa.

Outros restaurantes, como Al Burchiello, Paqualigo e A la Bricola, geram inúmeras reclamações por não serem claros com o preço dos pratos no cardápio. Algumas vezes, o valor informado é por peso, referente a 100 gramas, e não por prato montado. A comida é servida em porções maiores, mais pesadas, sem que o cliente seja avisado, e a conta vem o dobro, o triplo do que ele esperava.

Se você não tiver internet para pesquisar, pode, em primeiro lugar, evitar regiões muito turísticas, como nos arredores da Praça de São Marcos. Lugares muito disputados são mais propensos a estabelecimentos “pega-turistas”, com comida ruim a preços abusivos.

Praça de São Marcos, Veneza

Praça de São Marcos, em Veneza

Em segundo lugar, você pode fazer algumas perguntas básicas aos garçons antes de se sentar para comer: qual é o preço do coperto? Além do coperto, é cobrada taxa de serviço de quantos por cento? Os valores são os mesmos para quem senta dentro do restaurante ou fora, na varanda? O preço do cardápio é por prato ou por peso?, etc.

Quem visita Veneza na alta temporada deve ficar ainda mais atento, porque a forte concorrência por restaurantes pode aumentar o olho grande dos estabelecimentos.

Nossos restaurantes favoritos de Veneza

  • Nos arredores da Praça de São Marcos, a melhor comida foram a carbonara e o cordeiro da Tavernetta San Maurizio, a partir de 13 €;
  • Em frente à Ponte Rialto, o Caffè Saraceno ofereceu o melhor Aperol Spritz com batatinhas a 8,50 €;
  • O La Porta D’acqua venceu na sofisticação com vista do Grande Canal e uma deliciosa massa putanesta a 16 €;
  • A Osteria Ai Carmini é o melhor entre os baratos, com belos spaghettis muito bem temperadinhos a 9 € ;
  • A pizzaria Pier Dickens se destacou pela pizza boa e barata (a partir de 7 €), com ou sem glúten, no Campo Margueritta.

A Tavernetta San Maurizio, perto da Praça de São Marcos, não é tão barata, mas serve uma comidinha deliciosa e o serviço não é dos piores, honestamente. Apesar da avaliação apenas razoável no Tripadvisor, foi uma das melhores refeições que fizemos na Itália. A massa carbonara, bem gostosa, sai por 13 €, mesma faixa das outras massas do primeiro prato. No segundo prato, optamos pela costela de cordeiro com batatas ao forno e molho de vinho tinto (18 €), que era sensacional – o único defeito era a quantidade, já que o prato é bem pequeno pelo valor (e o molho de vinho é gostoso demais para vir tão pouquinho!). Também saem outras opções como filé de vitela com cebolas (15 €) e salmão com verduras (16 €). Na baixa temporada, o menu fixo que inclui o coperto, o pão e o serviço, um antepasto e um primeiro prato com carne, custa 15 €, enquanto a mesma combinação com prato de peixe custa 20 €, valores razoáveis para a região. Vale pedir o cálice de vinho da casa, que não está no cardápio e custa 4 €.

pratos de comida em veneza (massa e carne)

Tavernetta San Maurizio

Já nos arredores da Ponte Rialto, são várias as opções de restaurantes meio parecidões uns com os outros. O Caffè Saraceno foi o que escolhemos para tomar um Aperol Spritz (8,50 €, veio com uma porção de batatinhas chips) por causa da vista para a ponte – embora as cadeiras do parapeito da varanda sejam reservadas para quem vai pedir comida.

onde comer e beber em Veneza, Itália

Drink no Caffè Saraceno

Tanto este café quanto os vizinhos Florida e Riva Rialto são lugares muito concorridos por causa da localização e podem ser confusos quanto às cobranças de serviço e coperto, especialmente na alta temporada, mas têm comida razoável e bons preços, considerando a valorização daqueles metros quadrados. No Riva Rialto, os pratos de massa partem de 13 €, mesmo preço do menu do dia com 3 etapas na baixa temporada. No Caffè Saraceno, as pizzas vão de 12 € (caso da margherita simples) a 18 € (preço da opção com camarões e mariscos), enquanto as massas partem de 16 €.

O La Porta D’acqua é uma opção sofisticada para levar o date, com atendimento atencioso, ambiente de bistrô e uma linda vista do Grande Canal tanto na área externa, no jardim e na calçada, quanto dentro do restaurante, em um janelão de vidro que permite que o cliente aprecie a paisagem até nos meses mais congelantes do ano. Foi um dos poucos lugares onde encontramos massa com molho putanesca, com sugo, alcaparras e azeitonas – a versão do rigatone com ragu de carne de boi servida na casa é muito saborosa e bem temperada (16 €). Entre outras opções de primeiro prato, há o spaghetti com camarões e pinoli e a carbonara de frutos do mar (18 € cada). Os segundos pratos de carne ou peixe fresco, pescado diariamente, custam a partir de 25 €. O menu degustação de 5 antepastos custa 20 € por pessoa e as taças de vinho saem a partir de 5 €.

dicas de restaurantes na itália

La Porta D’acqua

A Osteria Ai Carmini foi uma boa descoberta, já que é um restaurante barato para comer massa, tem boa localização e uma comidinha muito gostosa, com cara de caseira, além de opções sem glúten para os celíacos – com garçons bem treinados para lidar com essa restrição. O spaghetti ao ragú e a carbonara são deliciosas opções por um preço baixo para os padrões venezianos (9 € cada) e a especialidade da casa, o tagliarini com camarões (14,50 €) também é muito saboroso. Outras opções são o spaghetti ao vôngole (13 €), o choco (um molusco parente das lulas) com polenta (15 €) e segundos pratos entre 15 € e 25 €. Os risotos, como o de camarão ou frutos do mar, são feitos somente em porções para duas pessoas, e custam 16 € por pessoa. Os vinhos custam a partir de 3,50 € a taça.

restaurantes em veneza, itália

Pratos da Osteria Ai Carmini

A pizzaria Pier Dickens não tem a melhor comida do mundo, mas tem outras vantagens: está muito bem localizada no Campo Santa Margherita, tem wifi grátis e mesas na calçada, fica aberta até mais tarde e oferece uma pizza barata e muito honesta, saborosa e com opção de massa sem glúten bem gostosinha. As pizzas mais simples partem de 7 €, como a marguerita e a de prosciutto, mas também há algumas mais elaboradas, como a carbonara, com pancetta e uma gema no meio (11 €).

Outras recomendações que tivemos foram o Rio Novo Ristorante, que serve spaghettis a partir de 15 € pertinho da Piazzale Roma, onde fica o terminal de ônibus, em uma varanda com vista lindinha que encanta os turistas; o Ristorante La Calcina, também com uma bela vista do canal e da ilha vizinha, de Giudecca, bem menos concorrido que o restaurante anterior, com cardápio enxuto de massas e sopas a partir de 12,50 €; o Osteria n.1, perto da Praça de São Marcos, muito bem avaliado e com preços bons (massas a partir de 12 €, carnes a partir de 13 € e pizzas entre 7 € e 14 €); e a despretensiosa Osteria Al Sacro e Profano, perto da Ponte do Rialto, que oferece porções para beliscar e pratos de lasanha a partir de 12 €.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *