Restaurantes em Porto de Galinhas: os melhores e onde comer

Comida boa, preços acessíveis e uma das paisagens mais bonitas do litoral brasileiro: Porto de Galinhas tem. Aqui, nós indicamos os melhores restaurantes em Porto de Galinhas e onde comer na cidade. Damos dicas para tomar um café ou uma cerveja, jantar ou almoçar com vista para o mar.

Quanto custa comer em Porto de Galinhas e quais são os principais pratos típicos

A gastronomia de Porto de Galinhas é bem variada: dá para comer em restaurantes famosos como o Beijupirá, pagando possivelmente mais de R$70 pelo prato; dá para escolher creperias ou restaurantes mais democráticos como o Barcaxeira, com escondidinhos de macaxeira bem recheados na faixa dos R$30; ou também dá para se alimentar de tapiocas e lanches em barraquinhas de rua, que custam entre R$10 e R$15. No centrinho, perto da feira de artesanato, onde fica a maioria dos bares e restaurantes, a oferta dá um jeito de atender a qualquer bolso.

onde comer em porto de galinhas

Refeições e drinks com vista para o mar não faltam em Porto de Galinhas e na vizinha Praia dos Carneiros

O que comer em Porto de Galinhas

Das comidas típicas imperdíveis de Pernambuco, não perca o bolo de rolo, rocambole finíssimo de goiabada encontrado em mercados e padarias tradicionais; e o cartola, doce de banana com queijo, açúcar e canela, facilmente oferecido em restaurantes por entre R$10 e R$20.

Nos pratos principais, frutos do mar, carne de bode e carne de sol são proteínas imperdíveis, e o purê de macaxeira o acompanhamento clássico.

Onde comer em Porto de Galinhas: nossos restaurantes favoritos

Nossos lugares favoritos para comer e beber em Porto de Galinhas são:

  • O Peixe na Telha, para um almoço na varanda com vista para o mar (possui serviço de praia, com cadeira e guarda-sol na areia)
  • O Munganga Bistrô, com cardápio especializado em frutos do mar e varandinha menor (possui serviço de praia, com cadeira e guarda-sol na areia)
  • O Restaurante Barcaxeira, para os melhores pratos nordestinos diferentões com chope da artesanal Ekäut, de Recife
  • O Beijupirá, pela fama, pela sofisticação e boas receitas de peixes
  • O Farofa Fina, para uma comida nordestina simples e raiz
  • O Café da Moeda, para um lanche ou uma sobremesa no centrinho
  • O Jobar, na Praia dos Carneiros, pela comida deliciosa, pela estrutura e pela conveniência à beira-mar (possui serviço de praia, com cadeira e guarda-sol na areia)

Melhores restaurantes em Porto de Galinhas

Peixe na Telha

É o melhor lugar para almoçar em Porto de Galinhas, já que a varanda aberta de frente para o mar proporciona uma vista imbatível, que chega a parecer montagem. À noite, o local também é bacana, mas perde-se o azul turquesa da água, ou seja: faça questão de conhecer o lugar durante o dia.

As entradinhas (a partir de R$10, caso dos caldinhos de peixe ou feijão) seguem o padrão de beira de praia, com pastéis de queijo (R$22, 6 unidades) e casquinha de siri (R$16). Os pratos principais partem de R$70 para duas pessoas, como a parmegiana de frango com massa ao molho de tomate e batata frita.

O diferencial da casa são os pratos principais servidos direto na telha, o que deixa a receita bem mais fotogênica. O peixe clássico (R$110, para dois) vem com molho branco, muçarela gratinada, arroz e pirão. É um prato gostoso, de sabor suave.

restaurantes em porto de galinhas

O Peixe na Telha tem uma varanda ampla com vista para o mar e pratos servidos na telha, bem fotogênicos

Para algo mais marcante, prefira o Belle Roselis (R$110), também na telha, com alho poró, castanhas, confit de tomate e limão, ou a moqueca (R$130), feita com azeite de dendê e leite de coco. Se gostar de comida bem temperada, peça por pimenta e coentro para o toque final.

Há versões individuais na telha por R$65 (peixe) e R$85 (peixe e camarão) e, para vegetarianos, tem mini-telha de purê de macaxeira com vegetais (R$45, individual) ou moqueca (R$85, para dois). Para beber, caipirinhas e outros drinks a partir de R$13, cervejas tradicionais a partir de R$10 (600 ml) e uma boa carta de vinhos.

Restaurante Barcaxeira

Não se deixe levar pela confusão do cardápio, difícil de decifrar: o Restaurante Barcaxeira, conhecido pelos escondidinhos de macaxeira com bom preço, tem muito mais do que isso para oferecer. Os pratos principais individuais são muito gostosos e merecem atenção.

Não perca a pescada do engenho (R$48), grelhada com alcaparras e mel de engenho flambado na cachaça, nem os surpreendentes camarões crocantes (R$58) empanados na macaxeira frita com risoto de queijo e pesto de coentro. Também vale recomendar a pescada Maracaípe (R$44) em crosta de farofa de castanha com arroz e purê de maracujá.

Há ainda opções de saladas, pratos com carne vermelha (a partir de R$38) e os famosos escondidinhos, divididos entre porção mini, individual ou para dois. Destacam-se os vegetarianos de brócolis (a partir de R$24) ou shitake (a partir de R$32) e o de carne de sol (a partir de R$26). As moquecas partem de R$88, para duas pessoas – só a vegetariana de banana da terra que é individual (R$32).

Para beber, aproveite a variedade de chopes e garrafas da cervejaria artesanal recifense Ekäut (a partir de R$8, 300ml) ou os drinks da casa (a partir de R$12). O Barcaxeira também leva vantagem por ter área externa e estar mais pertinho da praia e ser relativamente fora da muvuca do centrinho, onde costuma haver bastante aglomeração.

A pescada do engenho e o camarão crocante com risoto do Barcaxeira, pratos imperdíveis do centrinho da cidade 

Beijupirá

O Beijupirá é talvez o restaurante mais famoso de Porto de Galinhas, com casas também em outros locais badalados como Olinda e Praia dos Carneiros. É a escolha certa para uma experiência de alto nível, mas vale lembrar, em tempos de pandemia, que eles não possuem área externa e o local costuma lotar. A dica, nesse caso, é jantar cedo ou almoçar mais tarde, fora dos horários de pico da casa, quando o movimento é muito intenso.

De entrada, vale a porção de pastéis mistos (tem de aratu, charque, camarão e frango) com molho de caju (R$36). Dos peixes grelhados na chapa, rolam boas combinações com castanha de caju, molho de pitanga, banana ao mel de curry… (R$65 cada).

Saem misturas ousadas também com os camarões (na faixa de R$80), caso da versão com gorgonzola, arroz de goiaba e bacon, enquanto os pratos de carne vermelha (na faixa de R$60) seguem receitas mais ortodoxas, como picadinho ao vinho e escalopes com aligot de queijo coalho. Há opção de moqueca de vegetais e bolinhos de soja com molho de pitanga, ambos veganos (R$47 cada).

Munganga Bistrô

De varandinha menor e mais estreita que o Peixe Na Telha, mas com localização e vista igualmente privilegiadas, o Munganga é um pouco mais descoladinho, moderno. Especializado em frutos do mar, tem bons pratos de camarões (R$66 cada, em diferentes versões como o camarão com risoto de banana da terra e castanha de caju; o na moranga, servido com arroz; e o thai, com curry e leite de coco) e lagostas (R$140, grelhadas e com diferentes acompanhamentos, como risoto de açafrão, batatas salteadas, fettuccine…). Também há peixes e filés na faixa dos R$60 e uma boa carta de vinhos.

Farofa Fina

O Farofa Fina é o restaurante nordestino mais tradicional, com garrafas de cachaça nas prateleiras de madeira, fachada de barro, decoração temática sertaneja e shows de forró. Lá, as receitas são menos focadas em frutos do mar, como é comum em Porto de Galinhas, e mais orientadas à cozinha clássica do sertão, com ingredientes como a carne de sol e a carne de bode. Tem arrumadinho de charque, bode guisado, buchada, baião de dois… os pratos saem na faixa dos R$40 a R$50 por pessoa, em média, em porções bem servidas. Caipirinhas a partir de R$15 e cervejas comerciais a partir de R$9 (lata).

Café da Moeda

Para uma sobremesa, um lanche gostoso ou um café com cara de padoca, o Café da Moeda é a boa (e única) opção do centrinho. Os docinhos partem de R$4 – tem tortas, bolos, bolo de rolo, queijadinha e sobremesas tradicionais como o cartola (R$17) e a cocada (com doce de leite e sorvete, R$22), e outros como o Delícia de Café, com creme de leite condensado, brigadeiro de café e castanha de caju (R$17).

Também dá para fazer um lanche salgado por lá, com tortinhas salgadas, lanches de padaria, croissants recheados e pratos como escondidinhos (R$26), saladas (a partir de R$12) e carpaccios (a partir de R$23).

Onde comer na Praia dos Carneiros

A vizinha Praia dos Carneiros é muito mais isolada e vazia que Porto de Galinhas – o que é muito melhor para a qualidade da viagem, mas restringe as opções gastronômicas.

onde comer na praia dos carneiros

A Capelinha de São Bento e os drinks paramentados do Jobar na beirinha da praia de Carneiros 

Lá, na beira da praia, não há pequenas barraquinhas nem aluguel de cadeiras, somente grandes restaurantes. Dá para escolher um para aproveitar a comida e, caso não se hospede nele, pode fazer um “day use”, que custa na faixa de R$30 por pessoa (na baixa temporada) e permite que você use toda a estrutura do hotel, com cadeira, guarda-sol, espreguiçadeira, banheiro, chuveiro…

A melhor opção é o restaurante Jobar, da pousada Bangalôs do Gameleiros, aberto a não hóspedes. O movimento é tranquilo, as mesas são muito afastadas e o atendimento é muito preocupado com a pandemia, além da estrutura de praia ser muito gostosa. Outra vantagem é que o local fica a 10 minutos de caminhada da Capelinha de São Benedito, ponto mais fotogênico de Carneiros.

A moqueca de camarão do Jobar e o baião de dois de camarão do Delícias do Tapera, ambos em Carneiros

A moqueca de camarão do Jobar e o baião de dois de camarão do Delícias do Tapera, ambos em Carneiros

Para beliscar, caldinhos a partir de R$8, porções de bolinhos e dadinhos de tapioca na faixa dos R$30 e carnes e frutos do mar por a partir de R$50. Entre os pratos principais, as opções mais baratas são os pratos de frango (como o curry com maçã e arroz de castanhas, R$47) e as opções vegetarianas individuais (como a moqueca de banana da terra com arroz, R$36).

Os pratos de carne, bem tradicionais, ficam na faixa dos R$60, enquanto os frutos do mar, mais atraentes, partem de R$60 por pessoa: vá no peixe ao molho de gengibre e leite de coco com camarão, arroz e purê (R$152 para duas pessoas) ou na moqueca de camarões com banana da terra, arroz e pirão (R$125, também para dois).

Água de coco a R$6, sucos a R$9, cervejas comerciais a partir de R$14 e drinks enormes por a partir de R$15, como a paramentada pina colada da foto (R$25). Também oferece tapiocas, pizzas e sanduíches, para um lanche mais descomplicado.

Outra boa opção é o Beijupirá, sobre o qual já falamos mais pra cima. Ele fica a cerca de 30 minutos de caminhada da igrejinha, mais perto das piscinas naturais. Ao lado dele, está o Bora Bora, local mais famoso da praia. A estrutura do Bora Bora é bem completa, mas saiba que o local costuma receber mais de 3 mil pessoas em um dia na alta temporada, ou seja, apesar de grande, é muito muvucado. Se optar por ele, poderá enfrentar aglomeração e filas.

Já a Vila de Tamandaré, centro urbano mais próximo de Carneiros, é bem parada e com pouquíssimas opções: em nada se assemelha com a charmosa e animada vila de Porto de Galinhas, cheia de restaurantes e artesanato. Se estiver por lá, a melhor pedida para o almoço é o Delícias do Tapera.

Eles são conhecidos pelo “Baião de dois de camarão”, feito com feijão verde, queijo coalho e creme de leite, mas cujo tempero, suave demais, deixa um pouquinho a desejar. É gostoso, mas esperávamos algo mais marcante – porém, a casa não trabalha com coentro, tempero clássico desse prato. O Peixe na Tapera, acompanhado desse baião, custa R$58 na porção individual (bem servida, que deu para dividirmos) e R$116 para duas pessoas.

Todos os estabelecimentos foram visitados durante a pandemia do coronavírus covid-19 e foram observados o cumprimento das regras sanitárias, de contenção da pandemia. Preços e informações atualizadas em dezembro de 2020, referentes à baixa temporada. Cardápios e preços podem ser alterados a qualquer momento, sem aviso prévio.

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *