Os melhores bares e botecos de Belo Horizonte

Com 12 mil bares, botecos e botequins, Belo Horizonte tem orgulho de sua boemia. Este texto é um guia com os melhores botecos de Belo Horizonte. Note que não estão na lista estabelecimentos mais, digamos, requintados. Nosso foco é boteco mesmo: decoração básica, cadeiras simplonas e clientes com mesa cativa há décadas. A cerveja e a comida, por outro lado, são as grandes atrações. Buteco com u, sabe? Se sentir falta de algum estabelecimento nesta lista, deixe um comentário com a sua indicação!

Já conhece o instagram do Onde Comer e Beber? Lá, a gente posta novidades gastronômicas de BH todos os dias!

Os melhores botecos de Belo Horizonte

Bar do Antônio – Pé de Cana

Aquele bar pra chamar de seu, mas desde que você não seja ciumento, afinal, gerações de belo-horizontinos fazem o mesmo. Com 57 anos de história, o Bar do Antônio fica numa esquina tranquila do Sion e tem mesas tanto do lado de dentro quanto na calçada.

Para comer, vá sem erro na Costelinha Embriagada (em torno de R$ 70, serve de duas a três pessoas), que é assada no molho de cachaça e rapadura e servida com queijo pachá. A parmegiana é outro prato que vale a pena, principalmente pelo custo/benefício (cerca de R$ 100, serve quatro pessoas, mas há meia porção por R$ 50). A casa ainda conta com várias opções de PFs, petiscos diversos e caldos.

Outro destaque é carta de cachaças, com quase duzentos rótulos. O Bar do Antônio também tem seu próprio chope artesanal (R$ 28 o litro). Delivery por ifood e Uber Eats.

Bar do Antônio
R. Flórida, 15, Sion
(31) 3221-2099

bares de belo horizonte

Foto: Divulgação

Bar 222

O 222 se define como “um bar com vibe de quintal”. Basta passar uma tarde por lá para entender a razão: as mesas se espalham pela parte de trás da casa, pelo jardim e pela calçada em frente ao bar.

Aos domingos, destaque para o Bombom de Frango (R$ 90): um frango assado e desossado, recheado com bacon e acompanhado de batata salteada, arroz, farofa e vinagrete. Serve até cinco pessoas. Os pedidos podem ser por Ifood ou por Whatsapp, com entrega via Uberflash – para o frango, é necessário fazer a encomenda com uma hora de antecedência.

Outros destaques do cardápio são a coxinha da asa de frango acompanhada de molho picante e rolê de couve (cerca de R$ 50) e a carne de panela ao molho de frutas vermelhas, acompanhado de chips de jiló e fatias de pão (R$ 47).

Bar 222
R. Francisco Deslandes, 222
(31) 3564-3061

Redentor

O Redentor fica numa das esquinas mais tradicionais da Savassi, na Rua Fernandes Tourinho, e por isso mesmo costuma ser uma boa escolha de happy hour para quem trabalha ou mora na região. O cardápio conta com pratos individuais, como o Picadinho de Carne (R$ 36) e o Lombo ao Molho de Rapadura (R$ 33) e petiscos como o Bolinho de Aipim com Carne Seca (oito unidades, R$ 33).

A empada é outra especialidade da casa, como a de Camarão com Creme (R$ 10). Anote aí: a fornada sai sempre às 19h30 e às 21h30. Para beber, há as cervejas tradicionais e também o Chope Redentor (R$ 22 o litro), além de vinhos e drinks. O delivery funciona todos os dias, das 10h30 às 23h, no ifood.

O Redentor
R. Fernandes Tourinho, 500
(31) 3284-1175

empada em bar de belo horizonte

Foto: Divulgação

Chope da Fábrica

Com uma unidade super tradicional no Santa Efigênia e outra, mas recente, na orla da Lagoa da Pampulha e próxima ao Mineirão, o Chope da Fábrica é o típico boteco para comer bem. Os pratos são fartos e sempre servem bem mais do que o indicado no cardápio (um prato individual atende a duas pessoas; o para duas pessoas pode servir três ou até quatro. Na dúvida pergunte para o garçom, que não esconde a realidade).

Boas pedidas são o Mixidão (R$ 35), o Supremo de Frango com Catupiry (R$ 45) e a Picanha Tradicional Completa (R$ 80). Para beber, além de drinks e vinhos, há 10 torneiras de chopes especiais na casa da Pampulha, muitos de cervejarias mineiras, e que partem de R$ 8. Delivery pelo ifood.

Chope da Fábrica 
Av. do Contorno, 2736 – Santa Efigênia
Av. Otacílio Negrão de Lima, 2733, São Luís
(31) 3241-1766

Casa Cheia

A unidade do Mercado Central do Casa Cheia pode ser pequena e quase sempre lotada, mas é imbatível. Com menos cara de boteco e filas mais amigáveis na porta, a unidade da Savassi é a opção para quem deseja mais tranquilidade ou quer botecar fora do horário de funcionamento do Mercado.

Para comer comida mineira, escolha o Mexidoido Chapado (R$35, opção vegetariana a R$ 32) ou as Almôndegas Exóticas (R$ 54), que são bolinhas de carne de sol recheadas com queijo canastra e servidas ao molho de abóbora e com manjericão. Sensacional.

O tropeiro para dois é outro destaque do cardápio e sai por R$ 51. Para beber, além das cervejas tradicionais, o Casa Cheia trabalha com a cervejaria mineira Wäls. Entregas pelo ifood ou pelo Uber Flash, com pedidos pelo Whatsapp.

Casa Cheia
Rua Cláudio Manoel, 784, Savassi
Av. Augusto de Lima, 744, Mercado Central
(31) 3274-9585

bares de belo horizonte

Foto: Divulgação

Bar da Lora

Também no Mercado Central, o Bar da Lora está quase sempre cheio, principalmente em finais de semana e feriados, quando costuma estar cercado por clientes, que bebem em pé, apoiados na bancada do estabelecimento. Mas não deixe o jeitão simples te enganar: o bar já venceu o Festival Comida di Buteco, com o prato “Pura garra da lora” (carne com molho de Malzbier, acompanhada de purê de mandioca com queijo e jiló na chapa com linguiça, R$ 50). O tropeiro (R$ 20) é outro atrativo da casa, assim como o fígado com jiló, o prato típico do Mercado Central de BH. O Bar da Lora entrega pelo Ifood, UberEats, Rappi e 99food.

Bar da Lora
Av. Augusto de Lima, 744, Mercado Central
(31) 983051458 (WhatsApp)

Agosto Botequim

O mais querido botecão do Prado. No cardápio há desde risotos, massas, baião de dois até petiscos como o Bolinho de Abóbora com Carne Seca (R$ 35). A casa usa e abusa dos ingredientes mineiros e tem algumas comidinhas bem típicas, como a Conserva de Jiló (R$ 25) e as Trouxinhas de Canastra (R$ 35), que são recheadas com o queijo mais famoso de Minas e alho-poró, e um acompanhamento com molho de goiabada. Além das cervejas tradicionais, o bar tem drinks com e sem álcool. Entregas pelo ifood e Uber Eats.

Agosto Botequim
Rua Esmeralda, 298, Prado
(31) 3337-6825

Baiana do Acarajé

Uma das mais conhecidas opções do quarteirão fechado da Savassi, na rua Antônio de Albuquerque. Como o nome indica, o carro-chefe por ali é a comida baiana, da moqueca (a partir de R$ 80), passando pelo siri catado (a partir de R$ 78) ao acarajé (R$ 17), bem feitinho – se quiser com coentro, é só pedir.

Outras opções de frutos do mar completam o cardápio, que também tem algumas alternativas veganas, como a Moqueca de Banana e Palmito (a partir de R$ 60). Para beber, cervejas tradicionais, drinks e vinhos.

Baiana do Acarajé
R. Antônio de Albuquerque, 440
31 3586-3267

Cantina do Lucas

Ponto de encontro da boemia belo-horizontina, o Edifício Maletta reúne vários bares, principalmente na varanda do segundo andar. Com mais de 50 anos, a Cantina do Lucas funciona no térreo, ao lado da entrada, e é um patrimônio histórico e cultural da cidade. O Filé à Parmegiana (R$ 65) e o Filé ao Molho de Jabuticaba (R$ 77) são algumas das opções, assim como o Filé Maitre Lucas (filé grelhado, legumes na manteiga, ovos fritos, muçarela, presunto e molho ao sugo). Também há opções de comida mineira e massas e a casa tem uma boa carta de vinhos. Delivery no ifood e no Uber Eats.

Cantina do Lucas
Edifício Maletta, Av. Augusto de Lima, 233
(31) 3226-7153

Bar do Baiano

Butecão de bairro mesmo, com cadeiras espalhadas pela rua no melhor estilo “todos os clientes se conhecem.” Só que o Bar do Baiano, no Pompeia, tem um dos melhores pastéis de Belo Horizonte, o que costuma atrair gente de longe – ou do bar Juramento 202, da Cervejaria Viela, que fica ali ao lado. É de praxe beber no Jura e dar um pulo no Baiano pra pegar um pastelzinho.

Seja você vegetariano ou não, pode anotar: vá no Pastel de Couve-flor (R$ 5), que é maravilhoso e sozinho já vale a viagem. O bolinho de carne e a Paçoca de Carne de Sol são outras especialidades da casa, que tem cerveja gelada e vários rótulos de cachaça.

Bar do Baiano
R. Iara, 912, Pompeia
(31) 99502-8585

Rei da Estufa

É exatamente o que o nome diz: o rei dos petiscos de estufa, uma arte quase perdida pelos botecos. São aqueles que ficam aquecidos na estufa, no balcão do bar. Para melhorar, o Rei fica no Mercado Novo, hoje o melhor endereço gastronômico da cidade. Destaques para o Croquete de Costelão Bovino (R$ 9), para o Torresmo de Barriga Crocante (R$ 25) e para as Batatas Bravas no Molho Picante (R$ 20). Pedidos pelo Rappi e pelo ifood.

Rei da Estufa
Mercado Novo – Av. Olegário Maciel, 742 – Loja 2123
(31) 98860-3023

Patorroco

Duas vezes campeão do Comida di Buteco, o Patorroco já participou de programas como o Mais Você, da Globo, e foi indicado pela Veja como a melhor cozinha de bar de Belo Horizonte. A gente ama a Carne de Sereno com Purê de Mandioca e Parmesão gratinado (R$ 65, pra dois), mas, pra beliscar, não tem melhor que o Tutu-bola (R$ 50): porção de bolinhos de tutu com filé suíno e couve, empanados em farinha de torresmo.

Patorroco
R. Turquesa, 875 – Prado
(31) 3372-6293

comida de boteco

Foto: Divulgação

Bar do Caçapa

Butecão raiz no Serra, com cadeiras de plástico e tão simples como um boteco deve ser. O bar é famoso pelas empadinhas bem recheadas, com uma massa podre maravilhosa que derrete na boca (R$4 cada – compre várias!), além de um pastel de angu daqueles – muita gente come por ali mesmo, mas tem quem pare rapidinho e leve alguns petiscos para casa.

Bar do Caçapa
R. Palmira, 836 – Serra
(31) 3284-3449

Bar do Véio

O Bar do Veio, no Caiçara, é outro boteco tradicionalíssimo de Belo Horizonte: aberto desde 1986, o estabelecimento foi quatro vezes premiado pelo Festival Comida di Buteco (2006, 2007, 2008 e 2009). No cardápio, vale conferir o Vulcão (bolo de carne com tiras de bacon, cebola e batata rústica) e o Come Quieto (Copa de Lombo com creme de legumes), ambos pratos premiados pelo festival. Para beber, a regra é ir nos chopes tradicionais e com fama de colarinho perfeito. Delivery pelo ifood.

Bar do Véio
Rua Itaguaí, 406, Caiçara
(31) 34158455

Bar e Boi

Nossa opção favorita na Avenida Fleming, no bairro Ouro Preto. Tão tradicional como o vizinho de frente, o Filé, o Bar e Boi atrai multidões em dias de futebol e aos finais de semana costuma ter música ao vivo. Tem ambiente interno e também ao ar livre e algumas cervejas especiais, mas o ponto alto é, sem dúvida, a comida. O Frango com Catupiry (300g por R$ 29) é memorável. Também valem a linguiça acebolada com mandioca cozida (R$ 54) ou qualquer corte de carne bovina – vegetarianos podem passam um pouco de aperto. Delivery no Uber Eats.

Bar e Boi
Av. Fleming, 294, Bairro Ouro Preto
(31) 3498-7666

bares de belo horizonte

Foto: Divulgação

Bitaca da Leste

Prateleiras repletas de produtos típicos e cara de interior. A Bitaca da Leste é um boteco pequeno, para poucas pessoas, por isso convém chegar cedo. Para beber, chope Santê a R$ 12 e outras opções de marcas locais, como a Protótipo e a Ouropretana. A casa também conta com boas opções de cachaça – outro requisito básico para um bom boteco. O cardápio inclui ainda bolinhos de arroz, de feijão (R$ 20) e, em alguns dias, o almoço é uma ótima feijoada.

Bitaca da Leste
R. Salinas, 2421 – Floresta
(31) 2510-7122

Chico Dedê

Em 2019, o Chico Dedê foi eleito pela Veja como bar revelação de Belo Horizonte. Escolha mais que justa: o estabelecimento, que tem um cardápio cheio de quitutes mineiros, é mesmo especial.

A gente lambe os beiços com o croquetão de costela suína (R$ 51), que vai bem como petisco ou como prato, combinado com um arrozinho. O escalopinho de filé com nhoque de mandioca e molho de requeijão moreno (R$ 64) também é uma delícia. Para beber, drinks (cerca de R$ 25) e cervejas locais (a partir de R$ 12). Delivery no ifood.

Chico Dedê
R. Francisco Deslandes, 438 – Anchieta
(31) 3643-2016

Já tô inno

Procurando uma opção no bairro Barreiro? O tradicional Já tô inno, com mais de duas décadas de funcionamento, tá aí pra isso! A casa acumula três títulos consecutivos do Comida di Buteco (2014/15/16), além de ter sido vice também três vezes (2017/18/19). O Já tô inno serve cerveja sempre gelada e no copo lagoinha – ou seja, como deve ser.

Para comer, vá num prato campeão. O Jeitinho Mineiro (R$ 50) deu o primeiro título da casa. É um filé mignon suíno recheado com azeitona, bacon, calabresa e queijo frescal. De acompanhamento? Mandioca regada na manteiga de garrafa, molho apurado com cerveja preta e ervas finas e, claro pão de alho-poró.

O Já tô innrolando (R$ 50), que garantiu o bicampeonato, é um enrolado de carne com bacon, queijo, maçã e especiarias. Ele vem acompanhado com batatas ao murro gratinadas com creme de queijo, além de uma geleia de morango picante. O tri veio com o Ponto X, que também sai por R$ 50: escalopes de alcatra com bacon, regados ao molho especial de cogumelos e acompanhados de aligot de mandioca à moda da casa. Delivery no ifood.

Já tô inno
R. Benjamin Dias, 379 – Barreiro
(31) 3384-1198

Santuário Retrô Butequim

Vencedor do Comida di Buteco de 2017, o Santuário Retrô Butequim fica na região noroeste, no bairro Minas Brasil. O cardápio é variado, mas o foco também é comida mineira. O prato campeão do festival é um exemplo: Ossobuco “Du Retrô” (R$ 60, um ossobuco com guisado de quinôa, molho de bacon, pimentões coloridos e torrada). Há também opções mais internacionais, como o ensopado de carne húngaro Goulash (R$ 40) e a panhoca de filé ao molho de gorgonzola. Delivery no ifood.

Santuário Retrô Butequim
Praça Capela Nova, 122, Minas Brasil
(31) 99208 4950

Santo Boteco

Mais uma opção de comida mineira raiz. O Tropeiro com Torresmo Pipoca (R$ 35) e a Santa Pança, que nada mais é que um torresmo de barriga super crocante (R$ 35), são alguns dos carros chefe dessa modalidade.

O Bife Ancho com Mandioca (R$ 55) e a Carne de Lata com Purê de Mandioca Amarela, acompanhada de vinagrete de pimenta biquinho (R$ 45) também são opções para petiscar. O Santo Boteco, além da comida boa, é um local que promove a diversidade e o empoderamento feminino. Sempre bem-vindo, né? Delivery pelo Uber Eats e por WhatsApp.

Santo Boteco
R. Viçosa, 448, São Pedro
(31) 98277-1069

bares e botecos de belo horizonte

Foto: Divulgação

Boteco Nada Contra

Outro típico botecão com petiscos de estufa, o Nada Contra fica no Funcionários e faz umas receitinhas de almoço que chegam a dar saudade. O tempero da casa é fora da curva. Nas comidinhas, destaque para a porção de bolinhos de costelinha com feijão e recheio de couve com torresminho. Para beber, as cervejas tradicionais e alguns drinks.  Delivery pelo ifood.

Boteco Nada Contra
Rua dos Aimorés, 629 – Funcionários
(31) 3347-9579

Procurando hotel ou casa para descansar em Belo Horizonte e arredores? Veja aqui algumas dicas de onde ficar em BH. Reservando através do nosso link, você ainda ajuda o Onde Comer e Beber a sobreviver! 😀

Pra quem mora em BH e está procurando uma casa pra descansar um fim de semana ou feriado sem sair da região, aqui tem algumas opções incríveis, com piscina para os dias mais quentes e até hidromassagem!

Para grupos, essa casona de temporada fica do ladinho de Inhotim, cercada de um belo lago, tem três quartos, piscina ao ar livre e banheira de hidromassagem. A pousada Casa da Moeda é bem rústica, fica no meio da natureza e tem piscina externa aquecida. Para casais, há ainda mais opções:

– Os chalés Colina de Casa Branca recebem duas pessoas com um buffet de café da manhã, piscina, hidromassagem, sauna, mesa de bilhar…
– Já o Hotel Fazenda Pedra Lisa é pra descansar pertinho de Inhotim com boa comida, vistas incríveis e muuuuito conforto.
– A rústica Vila Severina também tem belas vistas pra Serra da Moeda, piscina, deck e hidromassagem dentro do quarto.
– No Hotel Fazenda Horizonte Belo, a 4 quilômetros do centro de Brumadinho, tem vistas, lagos, trilhas, piscina, entretenimento para crianças, hidromassagem, academia…
– A Pousada Boutique Villa Rica tem estrutura moderninha com decks, jardins, bar e restaurante.

Se você não mora em BH e está procurando um hotel na cidade, uma dica é se hospedar na região Centro-Sul, nas proximidades da Savassi. São legais o Vivenzo, um dos primeiros hotéis a se adaptar à pandemia com protocolos rígidos de segurança; o Holiday Inn, com uma bela piscina no terraço; o Ibis Liberdade, em uma construção histórica do ladinho da linda Praça da Liberdade; e o Ibis Budget, bem localizado e muito barato.

Na Pampulha, as melhores escolhas são o Arena Flat, um apart hotel pertinho das atrações da lagoa com uma vista incrível do Mineirão no terraço; o Da Orla Pampulha Hostel, pra quem busca algo mais em conta e descontraído na beira da lagoa; o Pampulha Flat, bem equipado a alguns minutos de caminhada da lagoa; a pousada Sossego da Pampulha, ao lado do Mineirinho e com piscina ao ar livre; e o belo hotel Nobile Inn, que fica entre a Casa do Baile na Lagoa e o Aeroporto da Pampulha.

Preços e informações atualizados em 2021. Cardápios e valores podem ser alterados a qualquer momento, sem aviso prévio. A pandemia do coronavírus pode ter afetado o funcionamento de locais citados, confira antes de ir.

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *