Bares, cafés e restaurantes em Florença: os melhores e os mais baratos

Florença, uma das (muitas) capitais do romance na Itália, é realmente encantadora. Ela é cheia de cantinhos charmosos para almoçar com vistas lindas ou tomar um vinho ao ar livre, vendo o pôr do sol. Confira abaixo um guia completo de bares, cafés e restaurantes em Florença.

Separamos as melhores escolhas para comer e beber bem por lá, os restaurantes mais baratos e onde encontrar opções vegetarianas, veganas e sem glúten.

Quanto custa comer e beber em Florença

Em restaurantes tradicionais, o primeiro prato custa a partir de 8 € e drinks, cervejas artesanais e taças de vinho ficam entre 5 € e 7 €. A alimentação na Itália costuma ser composta de uma entrada, antepasto; um primeiro prato, normalmente uma massa, muitas vezes vegetariana; e um segundo prato, mais caro, composto de carne – este sai a partir de 10 € na região. No geral, o primeiro prato já é bem servido, valendo por uma refeição por si só.

Vale lembrar que os restaurantes na Itália costumam cobrar “coperto”, uma taxa para sentar e usar o serviço do estabelecimento, que é cobrada independentemente de você consumir ou devolver os pães colocados na mesa. Em Florença, o coperto fica entre 1 e 2 € por pessoa.

Onde comer barato em Florença

Um lugar onde você consegue comer um prato ou um lanche e tomar uma taça de vinho por até 10 € ou 11 € pode ser considerado muito barato na cidade. Isso é possível em alguns dos restaurantes que a gente indica abaixo, como no Buca Niccolini ou no Mercado Central, onde, dependendo da fome, dá até para dividir uma pizza e gastar menos do que isso.

É mais fácil economizar comendo lanches, como no Vecchio Forno, a partir de 1 €, ou em pizzarias e padarias de rua, que vendem foccacias e fatias de pizza bem baratinhas.

Alguns lugares muito recomendados pela boa comida a preços baixos, como a Trattoria Marione e a Trattoria Zà Zà, vivem com filas insanas de italianos e turistas, ou seja, é bom chegar realmente muito cedo (ou muito tarde) para ter alguma chance.

Nossos restaurantes, cafés e bares favoritos em Florença:

  • O Caffe Concerto Paszkowski, pelo ponto histórico e pelos bons cafés e croissants de chocolate
  • O Signorvino, pela vista incrível da Ponte Vecchio. E com gostosas massas, boa carta de vinhos e um tiramisù delicioso
  • O Simbiosi, pelos pratos fartos, vinhos orgânicos e mais um tiramisù memorável
  • O Mercado Central, pelos bons preços, ótimas pizzas e boa variedade de comidas típicas bacanas em um só lugar
  • O Vecchio Forno, pelos lanches rapidinhos bons e baratos
  • Os gelatos da tradicional chocolateria Venchi, de mais de 140 anos, a rede mais amada (por nós) na Itália

O Simbiosi é um lugar bem gostoso para comer e tomar vinhos orgânicos (a partir de 16 € a garrafa). Ele é separado em duas “alas”, de pizza e de massa, ambas orgânicas, em casas vizinhas. Chamam a atenção o ambiente rústico, com salões separados por arcos e uma cozinha aberta ao centro, e o atendimento, super atencioso (e o local tem wifi). O cardápio é enxuto, mas interessante: das massas, nosso destaque vai para o Pappardelle com ragu de javali, farto e de sabor intenso (12 €), e o Tortelli de batata com queijo cacioricotta e trufas, bem aromático (13 €).

massa em florença

As massas e os vinhos deliciosos do Simbiosi e o ambiente romântico-relax do La Ménagère

Segundos pratos saem entre 10 € e 18 €, como o peito de pato com abóbora e cebola (16 €). Das sobremesas, destaque para o delicioso tiramissù, meio desconstruído, que vem à mesa com camadas de uma bolachinha adocicada e crocante, que fica maravilhosa com o recheio cremoso de mascarpone (6 €, bem servido e dá para dividir). As pizzas individuais têm sabores como gorgonzola e abobrinha, pancetta e linguiça com trufas e custam entre 7 € (caso da clássica Margheritta) e 13 € (preço da de salmão defumado e ricota).

No La Ménagère, cujo café da manhã já citamos ali em cima, o forte mesmo é o jantar romântico entre as paredes descascadas de tijolo a vista cheio de plantas e o piano de cauda. Servem receitas de inspiração oriental, como o frango ao curry com cebola crocante e arroz vermelho (16 €) e lanches, como embutidos e queijos no pão a partir de 10 € e hambúrgueres a 16 € (incluindo o vegano). Para beber, vinhos na taça (a partir de 6 €), na garrafa (a partir de 22 €) e cerveja artesanal local nas torneiras, em diversos estilos (a partir de 3,50 €, 200ml).

Outra opção para comer carne ou um hambúrguer é o Manzo, com cheeseburger clássico, com molho pomodoro, alface e queijo pecorino a 8 €, e opções mais elaboradas a 10 €, como na que leva hambúrguer de vitela e cebola agridoce. A Bistecca Alla Fiorentina sai por 50 € o quilo, e a casa também serve filés e tartare.

Restaurantes em Florença com vista da Ponte Vecchio e do Duomo

A melhor opção com vista da Ponte Vecchio é o Signorvino, provavelmente uma das refeições mais deliciosas de Florença com a vista mais sensacional a um preço justíssimo, que não sai do padrão cobrado na cidade mesmo em pontos menos privilegiados.

Massas bem servidas, boas opções vegetarianas e o melhor tiramissù (6 € na porção inteira, que serve até três pessoas, e 3 € na meia) fazem do Signorvino uma experiência altamente recomendável. Para comer, sopas a 8 € , saladas (com ou sem alguma carne ou proteína) entre 9 € e 16 €, e massas deliciosas a 10 € e 12 €, com e sem carne – vá na clássica Carbonara, na Signor Tortelli, recheada com peito de pato, ou na Tagliatelle al Barolo, com ragu de coelho.

Também é um bom lugar para petiscar, com tapas e pinchos a 2,50 € e pratos de degustação com queijos, embutidos ou vegetais entre 6 € e 12 €. Os vinhos vêm principalmente da própria Toscana, de Veneto e de Puglia e são servidos em três tamanhos: 100ml na taça (a partir de 4 €), 200ml na taça (a partir de 7 €) e garrafa (a partir de 15 €). As cervejas artesanais da casa, produzidas em Veneto, custam a partir de 5 € (330ml). O coperto é 1 € por pessoa mas, para tomar apenas drinks (os tradicionais gin tônica, negroni e aperol spritz, entre 5 € e 7 €) na varanda com vista para a ponte, sem consumir nenhum prato, é cobrada uma taxa extra de 2 € .

Uma opção razoavelmente menos concorrida e um pouquinho mais barata é a Osteria del Ponte Vecchio, com comida e estrutura beeeem mais simples. Pode ser uma boa para quem não pretende comer muito e prefere beliscar um prato simples de queijos e embutidos (entre 12 € e 14 €) e uma tacinha de vinho (a partir de 4 €). Também são servidas massas ao ragu e vegetarianas, como lasanhas e canelones, e risotos, como o de abobrinha com linguiça, por entre 8 € e 10 € , além de saladas e segundos pratos a partir de 8 €.

Plugins instaladoscomida em florença

As vistas da Ponte Vecchio e do Rio Arno na Osteria e no Perditempo, e a vista do Duomo nas mesas externas do Buca Niccolini

Outra sugestão, mais aconchegante para dias de chuva, porém, com vista mais restrita, é o Il Ristoro dei Perditempo, uma portinha bem simpática com um janelão de vidro que dá para o rio. O preço é similar ao da Osteria, mas o cardápio é um pouco mais variado e atraente, com boas seleções de tábuas de queijos e embutidos (entre 12 € e 15 €), bruschettas bonitonas (como as de guanciale, pecorino, copa e creme de trufas por 7,50 € cada), massas de ragú e vegetarianas e uma opção de risoto do dia entre 8 € e 9 €, além de sopas, saladas e sobremesas. Para beber, drinks e taças de vinho a partir de 3 €.

Para uma bela vista parcial do Duomo da Catedral Santa Maria dei Fiore, em um lugar mais barato e bem menos lotado que os da Piazza del Duomo, recomendamos o Buca Niccolini, em uma rua lateral. Além da localização sensacional e da boa comida, ele tem outros atrativos: cardápio vasto, preço bom, boas opções de risoto (coisa que não é tão comum em Florença) e massas e pizzas servidas também sem glúten, ponto importante para os celíacos que visitam a Itália e ficam sem saber onde comer.

Tostinis e bruschetas saem a partir de 4 €, sopas como minestrone e creme de aspargos a 7,50 € e risotos a 8,50 € e 9,50 € (com carne, frutos do mar ou vegetarianos). Das massas, tradicionais como a All’Arrabbiata e a Carbonara custam a partir de 7,50 € e as mais elaboradas, como o ravioli trufado ou o nhoque com camarões e aspargos, ficam em torno de 10 €.

Mercato Centrale de Florença

No andar de baixo, o Mercado Central de San Lorenzo é um mercadão normal, uma feira de produtos locais que fica aberta só até o começo da tarde. Porém, o segundo andar virou um reduto gastronômico de comida típica italiana e da região da Toscana, com opções veganas, vegetarianas e sem glúten. A administração é da Mercato Centrale, a mesma marca que comanda os mercados de Roma, Turin e Milão e vem tentando modernizar esses ambientes italianos.

O estilo é o mesmo do Mercado da Ribeira, em Lisboa, em que chefs conhecidos montam seus “guichês”, cada um especializado em um tipo de comida. O restaurante de frutos do mar, por exemplo, traz porçõezinhas como anchovas e tartar (4 €) e porções de peixe frito (9,50 €), enquanto a hamburgueria traz hot dogs e burgers a partir de 7,50 € com pancetta, creme de parmigiano reggiano, queijo pecorino, trufas… – há opção de pão sem glúten.

Um dos menus mais completos é o Tosca, com várias opções de antepasto a partir de 3 €, pratos de massa a partir de 8 € (como o nhoque ao ragu de javali, 13 €, e o spaghetti cacio e pepe, 11 €), carnes, peixes e sobremesas. O La Pasta Fresca é o local mais em conta para massas, com pratos simples e bem servidos por 7 €, 9 € e 10 €. No La Pizzeria, pizzas individuais grandonas saem rapidinho com muito recheio por a partir de 7 €. No mercado também tem um empório Eataly, bem conhecido de quem frequenta a Zona Sul de São Paulo, para comer e comprar produtos locais.

Para beber, o bar fica bem ao centro com cervejas de várias nacionalidades e algumas especiais italianas, como todos os estilos da Birra Moretti (Lager, Strong Ale, Dunkel Bock, IPA…) a partir de 3 € (200ml).

Onde tomar café da manhã ou brunch em Florença

Como é comum na Itália, além da cobrança do tradicional coperto, os preços do cardápio dos cafés também variam de acordo com o “tipo” de serviço que você quer. Se quiser sentar na varanda ou ser servido na mesa pelos garçons, pagará mais. E é realmente MUITO mais, já que os preços das bebidas podem aumentar até quatro vezes. Consumir dentro do salão (em alguns lugares, mesmo que sentado) e pedir e retirar o pedido no balcão garantem a tarifa mais baixa nos produtos.

Sendo assim, já dá pra imaginar a bagunça que vira o entorno dos balcões todo santo dia na hora da colazione, ou seja, do café da manhã. Sempre confira antes qual é o valor cobrado em cada situação.

No Caffe Concerto Paszkowski, essa zueira fica ao lado de uma vitrine forrada de sanduíches, biscoitinhos e pãezinhos doces. Ao menos o atendimento é ágil e os cafés e chocolates (com leite, com chantilly, com ginseng…) são muito gostosos. O lugar já foi uma fábrica de cervejas e, posteriormente, um reduto de encontro de literatos italianos no século 19. Lá, até nossa última atualização, os preços só são mais altos para quem fica na varanda e para quem quer atendimento na mesa – ou seja, se buscar o pedido no balcão e sentar nas mesinhas de dentro do salão, o adicional não é cobrado.

restaurantes florença

Café da manhã no Caffe Concerto Paszkowski e a vitrine de doces do Rivoire Fabbrica di Cioccolato

Vá no cappuccino (1,5 € dentro do salão, pedindo e buscando no balcão, 5,50 na varanda ou no atendimento à mesa) com o croissant de chocolate, macio e bem recheado (2,50 € no modo econômico, 4,50 € no mais caro). Cafés a partir de 1,20 €, sanduichinhos salgados entre 2,50 € e 4,50 €, e pastelaria entre 1,30 € e 5 € – preços para pedidos no balcão.

Um lugar delicioso para pegar um lanchinho to go de manhã ou à tarde (que infelizmente não serve café para acompanhar) é o Vecchio Forno, com um monte de opções de tortinhas doces e salgadas maravilhosamente recheadas, mini piadinas, pãezinhos, croissants, muffins, dos melhores que comemos em Florença, por a partir de 1 €.

florença comida italiana

Um dos quitutes quentinhos saídos da vitrine sensacional do Vecchio Forno e a pizza baratex do Mercado Central

Na mesma pegada histórica, ao lado do Paszkowski, está o Gilli, que é ainda mais antigo e famosinho, já que data da primeira metade do século 18. Tanto os cafés quanto as receitas de pastelaria custam a partir de 1 € do lado de dentro e a partir de 4 € do lado de fora. Também é clássico o Rivoire Fabbrica di Cioccolato, de 1872, que serve o chocolate quente com chantilly mais famoso da Piazza della Signoria – 4 € no balcão, 8,50 € (!) na área externa.

Outra marca bem tradicional é o Café Florian, cuja matriz, que fica em Veneza, é o café mais antigo da Europa. A casa de Florença é mais recente, mas segue a linha da original na sofisticação e nos preços: um cafezinho normal sai a partir de 7 €.

Para quem prefere algo mais moderninho, com mais variedade de grãos e formas de preparo, o recomendado é o Chiaroscuro, também no Centro. As comidinhas matutinas são mais elaboradas e os cafés (que custam a partir de 1,30 €), mais inusitados – tem até combinação com azeite. Eles também oferecem o esquema de “buffet aperitivo” bem conhecido em Milão, que já explicamos por aqui.

Dentre as opções mais hipsters, ganha o Ditta Artigianale, com cafés e chás a partir de 1,50 € , cookies e bolos a partir de 2,50 €, e tostadas, panquecas e outras opções de brunch a partir de 4 €, tudo muito atraente. Também tem cervejas artesanais.

O La Ménagère, que recomendamos acima entre os restaurantes, também tem cafés diferentes e um menu gostoso para a manhã, com preços bem mais salgados: se conseguir tirar os olhos da vitrine de doces, peça um café (a partir de 1,50 €) ou um chocolate quente (5 €). Para comer, panquecas a 8 €, omeletes a 10 € e menus completos de café da manhã entre 18 € e 24 €.

Onde comprar produtos trufados em Florença

Quem é apaixonado por trufas (como eu!) vai ficar perdidinho nas lojas La Bottega del Tartufo, com zilhões de produtos trufados, como mel, pesto, queijo, molho de azeitonas, azeites, pães, biscoitos… Apesar de ser, no geral, bastante caro, é tudo realmente muito bom e há opções de comidinhas e molhos a partir de 4 – e é possível que você encontre boas promoções para quem leva mais de um produto. É uma ideia criativa de presente para amigos foodies (já que um imã de geladeira vai acabar custando quase isso também).

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *