Onde comer em Gramado: 9 experiências gastronômicas imperdíveis

Neste post, vamos falar sobre onde comer em Gramado, um dos destinos brasileiros mais diversificados gastronomicamente. Tem as carnes gaúchas, o fondue suíço, o café colonial alemão, o galeto italiano, além de restaurantes temáticos que mais parecem ter saído da Disney.
  • Quanto custa comer em Gramado: preços e cardápios dos restaurantes
  • Dicas para conhecer os melhores restaurantes de Gramado
  • Quais são as experiências gastronômicas mais clássicas e onde conhecer cada uma

Quanto custa comer em Gramado

O custo da alimentação em Gramado é o mesmo das capitais brasileiras. Pratos principais costumam partir de R$60, mesma faixa de partida de rodízios de galeto ou fondue, por pessoa. Cafés coloniais saem em torno de R$80 por pessoa. Hambúrgueres, normalmente, ficam entre R$30 e R$40 e buffets por quilo, a partir de R$70/kg.

Já conhece o instagram do Onde Comer e Beber? Lá, a gente posta indicações gastronômicas do Brasil e do mundo!

Gramado é considerada uma cidade cara porque, de fato, oferece muitas opções sofisticadas, de preço elevado, mas também conta com bons restaurantes que regulam de preço com Porto Alegre ou São Paulo. Alguns dos restaurantes mais famosos praticam preços entre R$150 e R$200 nos rodízios ou nos pratos principais.

Dicas para conhecer os melhores restaurantes de Gramado

  • Faça reserva, especialmente durante os períodos de alta temporada – dezembro e janeiro, em virtude das festas de fim de ano e do Natal Luz, e entre junho e agosto, nas férias de inverno. Gramado lota o ano inteiro, mas nestes períodos pode ser mais difícil conseguir mesa sem reserva.
  • Se puder, vá durante a semana. Gramado funciona de segunda a segunda e os restaurantes não costumam fechar. Durante a semana, é maior a chance de encontrar a cidade mais tranquila.
  • Acostume-se a “jantar” cedo. Os fartos rodízios (como os de fondue e café colonial) são melhor aproveitados no final da tarde ou no cair da noite. Encarar tanta comida logo antes de dormir pode pesar no estômago e atrapalhar o sono.
  • Não se esqueça de conhecer também a boa gastronomia de Canela, cidade vizinha, que tem preços ligeiramente mais baratos.

Quais são as experiências gastronômicas mais clássicas e onde conhecer cada uma

Chocolates em Gramado

A capital nacional do chocolate passa longe dos pés de cacau do Norte e do Nordeste do país. Tudo começou em 1975, quando um empresário brasileiro, filho de poloneses, se inspirou na fabricação de chocolates de Bariloche, na Patagônia argentina (também famosa pelo chocolate artesanal local até hoje), reproduzindo os conhecimentos em Gramado e criando a primeira fábrica de chocolate caseiro do Brasil.

O clima europeu e as aspirações suíças da cidade ajudaram a torná-lo um produto turístico. Esse chocolate é o Prawer, o mais famoso. Para comprar seus produtos, vá na A Casa da Bruxa. Outros chocolates feitos na região que merecem um espacinho na mala são o Lugano e o Caracol.

Café Colonial em Gramado

Quem começou a tradição do Café Colonial em Gramado? O mesmo empresário, Jayme Prawer, pouco antes de startar a produção de chocolates. O café colonial é uma tradição que vem dos colonos alemães, que comiam com fartura para trabalhar no campo.

O Café Colonial do Bela Vista e o Fondue do Swiss Cottage

O Café Colonial do Bela Vista e o Fondue do Swiss Cottage

Hoje, é praticamente um patrimônio de Gramado e Canela: por um preço fixo, vem à mesa pães, bolos, carnes, embutidos, queijos, polentas, salgados, doces, sucos, vinhos… é muita coisa. O original é o Bela Vista, aberto pelo sr. Prawer em 1972, que oferece mais de 80 pratos. Com o tempo, abriram vários outros, com propostas, cardápio e preços muito similares. O Torre Café Colonial também é bem tradicional. O preço médio é de R$80 por pessoa.

Fondue em Gramado

Reforçando a vertente suíça de Gramado, o fondue é outro dos programas gastronômicos clássicos da Serra Gaúcha. Há variações de preço (um fondue pode custar R$50 ou R$150 por pessoa, dependendo do local), mas vale a mesma regra do café colonial: tudo é muito parecido e qualquer que seja a sua escolha, você vai comer muito bem até cair.

As sequências costumam ter três etapas (um fondue de queijo com pães e biscoitos, um de carne com molhos e um de chocolate com frutas), mas há os que tenham apenas dois passos (um salgado e um doce), os que incluam vinho, os que servem mais ou menos tipos de carne, os que servem chocolate branco e preto ou só preto…

São bons e tradicionais o Swiss Cottage, o St Gallen e o Riviera. Outros ótimos, de preço mais elevado, são o Malbec e o Le Petit Clos.

Rodízio de Galeto em Gramado

A Serra Gaúcha também é conhecida por suas “galeterias”, que servem o chamado rodízio de “galeto ao primo canto”. O galeto é o frango pequeno feito na brasa, acompanhado de outras iguarias italianas: a sopa de capeletti, a polentinha frita, o risoto, o tortéi (massa recheada de abóbora)… acabou? É só acenar para o garçom que é reposto imediatamente. Algumas galeterias tradicionais da região são a Mamma Mia, a Di Paolo e a Nonno Mio. O rodízio costuma custar a partir de R$60 por pessoa.

Menu Alemão em Gramado

Apesar da forte colonização alemã, não são tantos os restaurantes de comida típica genuinamente germânica, e saboreá-la é uma experiência indispensável na região. O melhor lugar para isso é o tradicionalíssimo Höppner, no hotel Ritta Höppner. Tem um menu de 4 etapas (R$129 por pessoa) com salada de batata com mostarda alemã, Eisbein (joelho de porco assado em baixa temperatura), massa spätzle, salsichas variadas, chucrute, schnitzel (lombo suíno fininho à milanesa), apfelstrudel (torta de maçã)…

Cervejas em Gramado

Outro bom produto da colonização alemã. A Rasen é a cerveja mais antiga da região, com 14 anos de produção. Em 2017, lançaram um megaempreendimento de R$15 milhões chamado Rasen Platz, um centro cervejeiro de bares, restaurantes e museu, mas ele não resistiu à pandemia e fechou em 2021. Hoje, é possível beber Rasen nos bares da cidade ou na fábrica da cervejaria.

Outros bons lugares para tomar cerveja em Gramado são a cervejaria Gram Bier, nossa favorita, com um pub que abre todos os dias; o brewpub da Heilige, boa cervejaria de Santa Cruz do Sul; e os taprooms Taberna MF e La Birra, com torneiras de chope e comidinhas.

onde comer em Gramado

Comidinhas do pub da GramBier e o espaço da La Birra no pôr do sol

Cafés e docerias em Gramado

O clima europeu e o ambiente de cidade-cenário têm tudo a ver com um bom café e um docinho, observando o vai e vem das ruas tortas e floridas.

O Royal Trudel serve trudels, um pãozinho doce romeno assado no espeto com açúcar e canela, muito popular nas barraquinhas de rua do leste europeu. Aqui, ele é recheado de chocolate, doce de leite, nutella e até sorvete. Pra quem quer um lugar mais tranquilo e intimista, o Cafe du Centre, uma franquia catarinense de inspiração francesa, é uma boa opção.

docerias em gramado

Os chocolates artesanais da Prawer e o trudel recheado da Royal Trudel

Carnes

Para hambúrgueres, amamos o Le Grand Burger (de R$35 a R$45), hamburgueria de Porto Alegre com receitas de inspiração francesa que abriu recentemente essa unidade na Serra – todas as opções têm sugestão vegana.

Também vale muito conhecer o Toro Gramado, com pratos de linguiça, espetinhos e bons cortes de carne, além de burgers. Para quem quer algo diferentão, o La Cacería, no famoso hotel Casa da Montanha, serve pratos bem elaborados com carnes de caça como javali, faizão, perdiz e jacaré. Os pratos principais custam de R$150 a R$200.

Restaurantes temáticos de Gramado

Gramado investe pesado em restaurantes temáticos megalomaníacos (e caríssimos, porque alguém tem que pagar pelo aparato todo). Tem de tudo, dos mais bregas aos mais requintados. Querendo ou não, visitar algum faz parte da experiência na cidade. A Hector Pizzaria, inspirada em um universo de dragões e escolas de bruxaria, é um dos ambientes mais mágicos. O rodízio custa R$200 para adultos e a partir de R$70 para crianças. Já o George III, todo inspirado nos palácios da realeza britânica, é um agrado aos olhos. Os pratos custam, em média, R$130.

onde comer em Gramado

Ambientes rebuscados do restaurante George III, temático sobre a realeza britânica

Quais são os melhores restaurantes e bares de Gramado

Além das experiências citadas acima, selecionamos outros 7 lugares incríveis em Gramado e Canela:
  • Alecrim Santo, para um buffet de comida leve com bastante variedade (buffet livre na faixa de R$50 por pessoa, com opção de buffet por quilo na faixa de R$80/kg);
  • La Vinicola, franquia mineira com pratos a preços acessíveis (na faixa de R$50 a R$70) e vinhos muito bons e muito baratos (garrafas a partir de R$70);
  • Duo Cozinha Contemporânea, com boas massas e risotos a partir de R$60;
  • Olivas Gastrobar, com bons drinks autorais;
  • Josephina Café e Restaurante, com ótimas opções veganas e vegetarianas (a partir de R$50) em um antigo casarão charmoso;
  • Wood Lounge para se jogar no finger food, compartilhando entradinhas e porções (de R$50 a R$70) em ambiente moderno;
  • Cannelé Bistrot, em Canela, um dos nossos favoritos da Serra Gaúcha, para um ambiente mais intimista com comida deliciosa e apresentação impecável.

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.