As melhores cervejarias em Lisboa e dicas de bares na capital de Portugal

O que beber em Portugal? Essa pergunta tem duas respostas possíveis: os vinhos tradicionais da região ou as cervejas artesanais deliciosas que estão aparecendo no país. Nossas bebidas e bares favoritos de Lisboa são:

  • Vinhos, especialmente o Vinho Verde e o Vinho do Porto
  • As cervejas encorpadas da Musa e da Dois Corvos, as principais artesanais de Lisboa
  • As cervejas criativas da Duque, que tem um bar bem localizado
  • As cervejas da A.M.O., servidas em ambiente caseiro
  • O bar Quimera, pela construção pitoresca de 1740
  • O Crafty Corner, pelas boas opções de bebida local e de comidinhas
  • A Cervejaria Trindade, por ser a mais antiga e conservar a arquitetura de convento do século 19

onde beber vinho em lisboa

O preço de chopes e taças de vinho em bares especializados não varia muito: costuma partir de 2,50 €.

Os vinhos são a pedida mais clássica, obviamente. Portugal tem deliciosos tintos, brancos leves e frisantes, além de dois famosos produtos protegidos pela sua denominação de origem controlada: o Vinho Verde, feito necessariamente na região Noroeste de Portugal, na área demarcada para esse tipo de vinho; e o Vinho do Porto, de uvas exclusivas da região do Douro, no Norte, perto da cidade do Porto.

Portugal tem mais de 30 regiões protegidas de origem controlada, mas essas duas são as que fabricam os vinhos mais exportados pelo país. Cada um tem o seu momento de consumo: o Vinho Verde, por ser mais leve e refrescante, pode acompanhar a comida (especialmente se ela não for encorpada, claro!), enquanto o Vinho do Porto, denso e licoroso, é tomado como sobremesa.

O Vinho do Porto é naturalmente mais doce, porque a fermentação das uvas (que transforma o açúcar da fruta em álcool) é interrompida de forma prematura, deixando açúcar residual, que não foi transformado. O álcool é completado com uma espécie de aguardente, o que faz o Vinho do Porto ser muito mais alcoólico que os outros, chegando a até 22%.

Há quem pense que o Vinho Verde existe apenas como vinho branco, e que o do Porto é apenas tinto. Mas os dois vinhos podem ser brancos, rosés ou tintos (e verde nenhum é, só para deixar claro).

Se você prefere trocar a uva pelo malte, vale saber quais são as cervejas mais vendidas em Portugal: a Sagres, controlada pela Heineken, é a mais popular nos bares e restaurantes do país. Ela é consumida principalmente nos estilos Lager, Dunkel (a Sagres preta) e Radler (com limão ou na versão fruit beer, com frutas vermelhas).

A principal concorrente da Sagres é a Super Bock, a mais exportada de Portugal. Também tem as opções Lager e Radler (denominada Green), mas varia um pouquinho mais em outros estilos, como Stout, Abadia, Amber Lager e IPA.

Melhores cervejas portuguesas

Das cervejas artesanais, uma das mais populares é a Sovina, do Porto, lançada em 2009. É uma cerveja muito gostosa, encontrada nos estilos Lager, Amber (nossa favorita), Weiss, IPA, Stout e Bock, além das sazonais. Foi recentemente comprada pela gigante Esporão, de vinhos e azeites, e sua distribuição aumentou no país.

Em Lisboa, a Cervejaria Trindade é a mais tradicional, nascida em 1836 e servida até hoje no restaurante da cervejaria, ou seja, é somente para consumir in loco, lá mesmo.

Da nova onda de cervejarias, destacam-se, na nossa opinião, a Musa, a 8ª Colina, a Dois Corvos, a A.M.O. e a Duque, de Lisboa; a Letra, de Braga (antiga Cerveja Artesanal do Minho); a Mag8, de Sintra; e a Epicura, de Coimbra.

Para saber mais sobre as cervejas artesanais portuguesas, confira o podcast Quem bebe por gosto, apresentado por Tiago Lopes, que coordena a comunicação da Dois Corvos. Ele recebe convidados e discute o cenário cervejeiro do país. Vale lembrar que a Sovina também produz um podcast, “O Estado da Cerveja”, mas a periodicidade é bem menos regular.

Dicas de cervejarias em Lisboa: melhores bares, brewpubs e fábricas

Cervejaria Dois Corvos

A Dois Corvos (Instagram), a artesanal mais conhecida de Lisboa, é uma cervejaria familiar que abriu em 2013. A cervejaria tem ótimas receitas, especialmente as de pegada britânica (Baltic Porter, Scotch ale, Barleywine e várias stouts bacanas como a apimentada Chihuahua, feita com nibs de cacau e chipotle) e envelhecidas em barricas.

O bar Dois Corvos é uma extensão da fábrica, bem simples, de parede grafitada, bancos de madeira e 16 torneiras da casa e de cervejarias convidadas. Chopes a partir de 2,50 € (250ml) e a tábua de degustação, com 5 cervejas, sai por 8 €.

Para comer, faz sucesso o chouriço assado, que vem à mesa pegando fogo (5 €), mas também saem tábuas de queijos e embutidos (7 €), pizzas vegetarianas (9 €), foccacias (6 €) e dips.

No shopping aberto LX Factory, uma vila de restaurantes, bares, livrarias e lojas, também tem um quiosque da cervejaria Dois Corvos, que serve cervejas locais, da cervejaria e de outras marcas, também por a partir de 2,50 € o copo.

Das artesanais lisboetas, é a mais fácil de ser encontrada em outros brewpubs: tente também o Crafty Corner, o Duque Brewpub, a Cerveteca Lisboa e o Beer Station.

Cervejaria Musa

A Musa (Instagram) tem um bar da própria fábrica, rústico, com bancões simples de madeira e acabamento em tijolos, além de um mezanino com vista para os tanques. Ainda assim, a cervejaria, que se inspira no rock para rotular suas cervejas, sedia shows (inclusive de Fado!) e eventos bem legais, assumindo também um clima de balada.

São 12 torneiras de chopes da própria marca, como a pale lager Mick Lager, a red session IPA Red Zeppelin, a oatmeal Twist and Stout e a Frank APA, tudo a partir de 2,50 € (250ml). Taças de vinho brancos ou tintos a 3,50 € e a tábua de degustação de cervejas sai por 7 €. Para comer, a fábrica serve sanduíches, batatas rústicas, porções de bolinhos e lanches mexicanos.

No restaurante Nicolau, reduto moderninho conhecido pelos bons cafés da manhã, também se encontra a cerveja artesanal Musa por 3,50 €. Acompanhe com tapiocas a partir de 5 €, tostadas entre 4 € e 7 € e panquecas deliciosas doces e salgadas também entre 4 € a 7 € – elas são bem grandes, vale pensar em dividir com alguém.

Outros pubs que costumam servir Musa nas torneiras são o Crafty Corner, a Cerveteca Lisboa e o Beer Station.

Duque Brewpub

Uma das nossas cervejas favoritas de Lisboa, a Duque (Instagram) ainda tem a vantagem de ter um bar central – a Musa e a Dois Corvos têm localizações menos convenientes. Aberto em 2016, o lugar tem 12 torneiras e ocupa no mínimo metade com as cervejas fabricadas ali.

Entre as outras, figuram as artesanais portuguesas como Musa, Trevo e Dois Corvos. O destaque das cervejas da casa vai pra Hoppy is the new black, uma black IPA muito aromática, e pra Albino, uma curiosa white stout claríssima, que chega a confundir a cabeça pelo sabor tostado.

cervejaria em lisboa

Cervejaria Duque

Chopes saem a partir de 2,50 € (200ml) e tostas, como a Batalha (com chorizo, cheddar, rúcula, jalapeño e alho moído) ou a Gouveia (com presunto, queijo São Jorge, rúcula e pasta de azeitona), acompanhadas de batata-frita, custam 6 €. Também há opções de snacks, como porções de queijos ou embutidos a partir de 4,50 €. A taça de vinho branco ou tinto custa 3 €.

8ª Colina

A 8ª Colina (Instagram), que você vai encontrar como 8A, é uma cervejaria bem bacana com um taproom e gastropub na Graça, cujos banquinhos da rua tem uma bela vista desse lado de Lisboa, e um taproom e restaurante, maior e mais procurado, perto da praça Marquês de Pombal.

É na Colina da Graça que também fica a fábrica, aberta à visitação mediante agendamento.
Nas torneiras, completas com os chopes da casa, os copos de 250ml partem de 2,50 € – recomendamos a IPA Urraca Vendaval, a robust porter Zé Arnaldo e a Brut IPA Musgueira. Taças de vinho também a 2,50 € e tábua de degustação de cerveja, 7 €.

cervejas em lisboa

Cervejaria 8ª colina

Para comer no gastopub, saem lanchinhos simples a partir de 4 €, como as porções de gyozas e de chicken wings, tacos a 5,50 € e burguers de carne ou vegetarianos a 7,50 €. No restaurante, além de pratos montados, também saem lanches como hambúrgueres e o recomendado bao (aquele gostoso e pálido pão chinês) recheado de bolinho de bacalhau.

Também aparece frequentemente nas torneiras do Crafty Corner, da Cerveteca Lisboa e do Beer Station.

A.M.O. Brewery

A.M.O. Brewery (Instagram) só abre às quintas e sextas. Lá, é como beber na sala de casa – o lugar é pequenininho e muita gente opta por pegar a cerveja e ficar de pé batendo papo na rua ou no pátio.

As receitas, cujos rótulos vêm ilustrados com os animais que as inspiram, são mais tradicionais – destacamos as saborosas Javali Porter, bem robusta, e a Raposinha Pale Ale, com adição de café arábica.

O chope na casa é 2,50 € (250ml), mas a cervejaria também costuma figurar nas torneiras de pubs como o Crafty Corner e o Beer Station.

Quimera Brewpub

Sem dúvida, o endereço mais legal no quesito ambiente: o Quimera (Instagram), em Alcântara, fica dentro de um túnel de 1740, que servia de passagem para a cavalaria real do antigo Palácio das Necessidades, atual sede do Ministério das Relações Exteriores.

É um brewpub desde 2016, com torneiras voltadas para as cervejas da própria casa, a Quimera, que é fabricada no subsolo. O clima intimista ditado pela luz baixinha e pelas grossas paredes de pedra tem um toque final com sessões de jazz, piano, violoncelo e outros instrumentos que dão vida à arquitetura histórica.

Para beber, os chopes saem a partir de 3,50 € (250ml) e para comer, entradinhas simples como bruschettas (a partir de 5,50 €) e tábuas de queijos, pães e pastinhas (a partir de 7,50 €), ou sanduíches bem recheados com pães especiais e carnes preparadas na cerveja (como pastrami curado ou porco desfiado), salmão ou vegetariano por 9 € (acompanha batata chips e coleslaw).

Crafty Corner

O Crafty Corner (Instagram), perto do Cais do Sodré, na Travessa Corpo Santo, é um dos melhores em oferta de cerveja artesanal portuguesa. Aparecem nas 12 torneiras produções das lisboetas 8ª Colina, Dois Corvos, A.M.O. e Musa, além da Trevo, de Caparica, e da Mag8, de Sintra – desta última, não deixe de provar a Neipa SeteAis, se ela pintar por lá.

É uma boa opção para quem tem pouco tempo na cidade e quer conhecer várias cervejarias locais, sem necessariamente visitar nenhuma delas. Os chopes partem de 3 € (250ml) e a tábua de degustação sai por 10 €.

O cardápio de comida também é um pouquinho mais extenso: porçõezinhas (como batatas fritas, bolinhos de bacalhau e samosas) a partir de 3,50 €, tábuas de queijos e embutidos a 9,50 €, sanduíches e hambúrguers com opções vegetarianas a partir de 7,50 €, e saladas.

onde beber em lisboa

Cervejaria Dois Corvos

Beer Station

O Beer Station é pequeníssimo: um quiosque anexo à estação de trem de Rossio. Tem muitas conveniências, como a própria localização, o clima desapegado e a ótima oferta de cervejas locais, nas 12 torneiras e em garrafa, mas tem a desvantagem de ter um cardápio de comida limitado a empanadas e porçõezinhas. Tudo bem, né, porque o local está rodeado de restaurantes.

Costumam servir no chope (a partir de 3,50 €, 250ml) as principais cervejarias artesanais da região: Dois Corvos, Musa, Letra, A.M.O. e 8ª Colina.

Cervejaria Trindade, em Lisboa

Lá, a cerveja perde completamente a posição de protagonista. Na Cervejaria Trindade (Instagram), se vai para ficar boquiaberto com a arquitetura bem preservada do lugar. O prédio original é do século 13, mas passou por diversos incêndios e reconstruções até cair nas mãos de empresários em 1836, que ali montaram a primeira fábrica de cerveja da cidade.

Só a decoração das paredes, repletas de azulejos, já é motivo suficiente para visitar a cervejaria. Mas ela tem outro diferencial: serve comida de verdade, muito além dos lanches, em pratos fartos e pode ser uma ótima pedida para jantar.

O cardápio é extenso, com sopas a partir de 3 €, carnes a partir de 10 €, peixes a partir de 12 € e doces portugueses de sobremesa.

Cerveteca Lisboa

Aberta em 2014, quando pouco se falava em cerveja artesanal em Portugal (e menos ainda se produzia), a Cerveteca (Instagram) foi a pioneira no assunto. Além de servir cervejas regionais, das mais às menos conhecidas (é um bom lugar para provar a Mag8, de Sintra, e a Praxis, de Coimbra), também aposta bastante em produções belgas e norte-americanas.

Para comer, queijos artesanais, embutidos, compotas, sanduíches e as famosas conservas de sardinha portuguesas, servidas com pãezinhos. Chopes a partir de 2,50 €, 250ml.

Pollux Terrace

O Pollux Terrace tem um terraço com uma vista incrível do centro de Lisboa, com o Elevador de Santa Justa bem no meio. É um ótimo lugar para beber a cerveja portuguesa Sovina em todos os estilos regulares (6 €, long neck de 330ml).

Vá no pôr do sol: o local tem cadeiras e espreguiçadeiras para apreciar a vista com a sua cervejinha. Você pode fazer reserva para garantir seu assento ou chegar na hora e ficar bebendo em pé, sem problemas. Os sanduíches custam a partir de 2,50 €.

Delirium Café

A gente sempre prefere conferir os bares e as cervejarias locais, mas quem nunca esteve em um Delirium Café (Instagram), da cervejaria belga Delirium Tremens, pode gostar da experiência. A versão portuguesa fica no Chiado, em um ambiente enorme com 25 torneiras de cervejas de vários lugares do mundo, mas com preferência pelas belgas.

Não é um local focado em cervejarias artesanais, já que costuma servir mais produtos de grandes empresas internacionais, como a própria Delirium, ou outras gigantes como a britânica Guinness ou a alemã Paulaner. Também é um pouquinho mais caro que os outros. Lembrando que há Delirium Café no Brasil, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *